sábado, 27 de dezembro de 2014

Capítulo Final

2 horas depois...
            - Você tem que contar para ele? – Dylan dizia para Amélia no meio do corredor.
            - Eu não posso! Eu sigo regras, e o diretor disse para não disser.
            - O que está acontecendo entre vocês dois? – Zac disse ao se aproximar.
            - Nada doutor! – Amélia respondeu.
            - Dylan? – Zac encarou o irmão.
            - Eu não consigo!
            - Você não pode! – Amélia o advertiu.
            - Sabe quem você acabou de operar? – Dylan disse.
            - Um paciente emergencial. – Zac disse rindo.
            - O nome do paciente?
            - Eu não sei, não tive tempo de perguntar. Amélia?
            - Sim senhor?
            - Qual o nome do paciente? – Zac perguntou.
            - Hum, o nome? É... – ela ficou pensativa.
            - É a Vanessa!
            Zac mudou o seu foco, deixou de encarar Amélia que estava com cabeça baixa para encarar o irmão.
            - Como assim?
            - A senhorita Hudgens chegou há três horas e meia no hospital – Amélia começou a dizer – Estava desacordada, com vários hematomas no corpo, alguns antigos e outros novos. O doutor Webber fez a consulta inicial, pediu raios-X, tomografias, ultrassonografias, pediu todos os exames. Quando ele verificou a tomografia achou manchas em volta do cérebro, pediu para ligar para o senhor, mas não era pra eu dizer quem era a paciente, porque senão o senhor...
            - Não conseguiria operar! – Zac sussurrou completando a frase de Amélia.
            - Ela está no quarto 403! – Amélia disse.

            - Eu ainda não acredito! – Stella dizia vendo a irmã desacordada na cama.
            - Não tem como acreditar!  - Gina disse.
            - O que aconteceu? - Gina e Stella voltaram à atenção a porta do quarto onde encontraram os olhos tristes de Zac.
            - Austin! – Gina disse com a voz embarcada.
            - Como? – Zac perguntou.
            - Ela abriu o jogo. – Stella disse – Colocou tudo sobre a mesa. Pediu o divórcio, colocou meu pai contra a parede, nos deu à grande noticia, e depois...
            - Ela nos pediu para conversar com Austin a sós, e minutos depois ouvimos um barulho fraco vindo do escritório. Em seguida, ouvimos algo quebrando. Achávamos que era mais uma das brigas que quebram tudo que tem na casa.
            - Mas ele a quebrou! – Zac disse.
            - Papai não suportou ficar ouvindo sem fazer nada, então arrombou a porta do escritório e viu Austin socando a minha irmã, a maltratando. – Stella deixou cair uma lágrima.
            - Greg foi pra cima de Austin. Vanessa estava desacordada no chão. Eu e Stella corremos para ajudá-la, foi quando ouvimos um tiro. – Gina disse – Austin saiu correndo, e Greg foi ao chão.
            - Ele está bem? – Zac quis saber.
            - Está sendo operado por Webber. Não temos notícias!
            - Cuidam dela. Eu vou saber sobre Greg. - Zac caminhou até a porta. Estava abalado. – Você disse “grande notícia”. Qual era? – ele perguntou a Stella.
            - Você não sabe? – Gina perguntou.
            - Deveria?
            - Ela lhe contará quando chegar a hora! – Gina sorriu pela primeira vez após o ocorrido.

            - Chefe Webber! – Zac disse ao entrar na SO onde Greg estava sendo operado.
            - Efron! – O chefe o cumprimentou – O que faz na minha SO?
            - Quero notícias do paciente!
            - Você já sabe? – o chefe o encarou sobre a mascara.
            - Sim senhor!
            - Diga que acabamos por aqui, ele ficará em observação. O colocaremos no quarto ao lado da filha.
            - Obrigado senhor!
            - Não fiz mais do que minha obrigação!
                       
24 horas depois...
            - Você está bem? – Gina perguntou ao marido.
            - Estou. E Vanessa? – Greg respondeu.
            - Está melhorando, mas ainda não acordou. Zac está com ela, disse que é normal essa demora pra acordar.
            - Ele sabe?
            - Do que? – Gina disse confusa.
            - Que vai ser pai?
            - Não. A obstetra dará uma olhava nela daqui a pouco pra ver se o bebe está bem.
            - Espero que sim! – Greg disse.
              
            - O que vai acontecer quando ela acordar? – Stella perguntou.
            - Como assim? – Zac quis saber. – Como ela se sentirá?
            - Isso também, mas principalmente como vocês ficarão? Já que o marido dela fugiu após atirar no meu pai.
            - Eu não sei. – Zac respondeu.
            - Ficarão juntos. Eu tenho certeza. – Dylan disse se intrometendo na conversa.
            - Posso entrar? – todos olharam para a porta.
            - Doutora Vivienne o que faz aqui? – Zac perguntou.
            - Uma consulta doutor Efron. Peço que todos saiam. Que só fique o responsável pela paciente.
            - Eu fico – Zac se prontificou.
            - Me desculpe Zac – Gina disse ao se aproximar – Mas, eu fico!

            - Oi! – Greg ouviu.
            - Olá Zac!
            - Podemos conversar? – Zac disse entrando no quarto.
            - Sobre? – Greg levantou as sobrancelhas.
            - Meu pai.
            - Eu sinto muito. Eu fiz muitas coisas erradas, mas eu lhe garanto que não tentei matar seu pai.
            - Como assim? – Zac perguntou sem acreditar nas palavras de Greg.
            - Não tem que acreditar em mim, mas a verdade é que não fui eu que mandei cortar os freios da caminhonete de David. Eu assumo que sentia ciúmes toda vez que Gina se aproximava dele, mas quando eu soube que havia se casado, e tinha filho e estava a espera do outro, eu deixei pra lá. Seu pai sabe disso.
            - Ele me contou que você conversou com ele antes do acidente.
            - Eu sei quem fez o serviço. Foi Josué, meu funcionário na época, hoje está preso por outros motivos. Me desculpe por estragar a vida de sua família.
            - Eu estraguei a sua. – Zac disse rindo – Estamos quites!
            - Não estamos não.
            - Como assim?
            - Devia ter entregado as suas cartas pra Vanessa.
            - O senhor... – Zac deixou a frase no ar.
            - Devia ter deixado Vanessa lhe namorar, devia ter a deixado ser feliz. Não devia ter lhe subornado pra se afastar dela, sei que você não usou nenhum centavo daquele dinheiro.
            - Ela que contou!
            - Tudo, e pra todos. – Greg sorriu.
            - Ela é uma garota espetacular! – Zac disse.
            - Você a ama? – Greg o encarou.
            - Nunca deixei de amar.
            - Seja feliz com ela. Eu lhe dou a minha benção.
            - O senhor está brincando comigo?
            - Não, é claro que não. Só espera eu achar o maldito do Austin e o matar, aí vocês se casam. – Zac ficou sério – É brincadeira. O xerife acabou de me ligar e disse que o encontraram. Está sendo levado pro presídio por tentativa de homicídio.
            - Tenho que esperar?
            - Até sair o divórcio.
            - O que senhor está me dando o melhor presente da minha vida!
            - Não. Você que me deu o melhor presente.
            - Como assim? – Zac perguntou sem entender.
            - Ela acordou! – Stella disse entrando no quarto. – A Van acordou!

            - Como você está minha querida?
            - Estou bem mãe! – Vanessa olhou para a porta e viu seu pai na cadeira de rodas sendo trazida por Zac – O senhor está bem?  O que aconteceu?
            - Aquele FDP do seu marido atirou no pai! – Stella disse.
            - Mas já estou bem. – Greg disse – Aliás, estou ótimo. Coloquei os pontos nos is com Zac, coloquei Austin na prisão, liguei para Scott, que é advogado e está cuidando de seu divórcio – apontou pra Vanessa – E quando saímos daqui, iremos comemorar com uma grande festa!
            - Esse é o Greg que eu me apaixonei! – Gina disse.
            - Iremos comemorar o que? – Vanessa disse.
            - A nova fase dos Hudgens.
            - Não está esquecendo ninguém Greg? – Gina perguntou.
            - Okay, eu deixo o Zac participar também! - Todos riram com a provocação de Greg.
            - Obrigado pelo convite! – Zac respondeu sorrindo.
           
            - Você está bem? – Zac perguntou a Vanessa assim que ficaram a sós.
            - Eu tenho novidades! – ela sorriu.
            - Eu também! – Zac disse.
            - Diga primeiro!
            - Seu pai nos deu a benção.
            - Isso quer dizer... – Vanessa o encarou.
            - Quer casar comigo? – Zac disse – Depois que seu divórcio sair, é lógico! – Vanessa riu.
            - É a coisa que eu mais quero! – ela respondeu antes de beijá-lo. – Você será pai!
            Zac a encarou. Achou que tivesse ouvido errado. – O que você disse? – ele perguntou.
            - Eu disse: “Você será pai!” – ela sorriu colocando a mão sobre a barriga.
            - Hoje é o melhor dia da minha vida! Obrigado por você existir! – Zac disse alisando a barriga de Vanessa – Eu amo vocês!




The End.

----------------------------------------------------------------------


Acabouuuuuu!!!!
Obrigado por tudo pessoal, pelo apoio, pelos comentários...
Agradeço cada um de vocês que fizeram parte dessa história, assim como as outras.
Novamente dedico a Rafa Diniz, Julia Araujo e Zanessa 4 ever, por estarem sempre comentando.
Acredito que não aparecerei por aqui antes de 2015, então... Feliz Ano Novo! Que Deus nos abençoe cada vez mais ;) 
Até o ano que vem com mais algumas mini fics musicais (quem sabe!).
- L

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

15° Capítulo

24 de Dezembro – Véspera de Natal
            - Tem certeza que você quer fazer isso?
            Vanessa olhou para sua mãe que estava na entrada do closet pelo espelho. Fazia quatro dias que havia descoberto os segredos que guardavam o passado.
            - Vai ser hoje mãe, não dá pra ser outro dia.
            - Já estamos prontos Nessa! – Stella disse ao chegar ao quarto – Aconteceu algo?
            - Não! – Vanessa sorriu – Não aconteceu nada.
            - Ainda não! – Gina disse ao sair do quarto deixando as filhas a sós.
            - Do que a mãe está dizendo Nessa?
            - Eu vou terminar meu casamento hoje! – Vanessa respondeu a irmã que a olhou com olhos regalados.
            - Espero não te ofender, mas você demorou pra tomar essa decisão!

            - Você não vai ir passar a noite com ela?
            - Não Dylan! – Zac disse olhando para a imagem noturna de Los Angeles da varanda de seu apartamento. – Não tenho certeza do que acontecerá essa noite.
            - Vai dar tudo certo!
            - Tomare!
            - Acredite! – Zac e Dylan se viraram ao ouvir a voz do pai – Ela vai fazer a coisa certa!
            Zac e Dylan sorriram ao pai – Sua mãe disse a ceia está pronta! – David completou.

            - Achei que teria que ir buscá-las pela demora! – Austin disse ao ver Vanessa descendo as escadas com Stella ao seu lado.
            - Não será necessário!
            - Que bom! Vamos comer então!

            Austin seguiu para a sala de jantar, sendo seguidos pelos sogros, cunhada, e a esposa, sentaram-se a mesa e começaram a fazer a refeição.
            Zac estava na sala de estar sentado ao lado dos pais, ouvindo o irmão contar mais uma de suas histórias malucas. Starla estava rindo sem parar. David ouvia com sorriso no rosto. Zac estava feliz ao lado da família. Vou até a cozinha para atender o celular que tocava.
            - Alô?! – ele disse ao atender.
            - Eu preciso de você aqui! – Zac fechou os olhos ao ouvir a voz.
            - Eu não posso Nessa, você tem que fazer isso sozinha, eu não posso estar aí.
            - Você é minha força!
            - Tenha força sem mim!
            - O que acontecerá amanhã?
            - Estaremos juntos!

            Vanessa voltou a sala onde a família estava reunida, sorriu ao ver todos a encarar.
            - Tenho algo a dizer!
            - Diga então Vanessa! – Austin disse com ar de superior.
            - Eu quero o divórcio! – todos ficaram quietos.
            - Você não pode fazer isso! – Austin respondeu furioso ficando em pé.
            - Eu posso e vou.
            - Filha, pense bem! – Greg disse.
            - Já pensei, não vou suportar mais esse casamento onde eu sofro vinte e quatro horas, um casamento que só fez bem a empresa e não para mim.
            - O que você está dizendo filha? – Gina perguntou sem saber do que Vanessa se referia.
            - Eu casei com Austin, porque o pai pediu, na verdade ele mandou. A empresa estava falida e somente a minha união com Austin salvaria a empresa, já que essa foi a troca. Como em A bela e a fera. Só que a fera, não é um príncipe.
            - O que está acontecendo com você? – Greg disse inconformado.
            - Estou cansada de farsa e mentiras nesta família. Então hoje eu quero acabar com isso.
            - Como? – Austin disse.
            - No auge dos meus 18 anos eu tive uma decepção amorosa, meu namorado na época foi para Nova York estudar medicina, enquanto eu fui obrigada a ficar aqui, cuidando dos negócios da família. Fiz faculdade de Administração e comecei a trabalhar na Petrolina.
            - Chega dessa história! – Greg disse se levantando.
            - Qual história? A que você destruiu a minha vida, subornou o meu namorado?
            - Zachary nunca foi homem para você! – Greg disparou em alto e bom som.
            - Zachary? – Austin a encarou – O neurocirurgião?
            - Esse mesmo! – Stella disse calmamente.
            - Você não sabe de nada! – Greg disse rindo.
            - Eu sei de tudo!
            - Então me conte! – Greg a desafiou sentando novamente.
            - Você odeia o Zac, porque odeia o fato que minha mãe foi apaixonada por David Efron antes de casar com você. David que é pai do Zac. Quando você descobriu esse fato você fez de tudo para me separar dele, e você conseguiu, mas não pelos seus meios.
            - Como assim Van? – Gina disse.
            - O pai deu um milhão de dólares para que Zac se afastasse de mim, quando ele recusou, você mandou seus capangas para baterem nele. Esse foi o aviso para que Zac aceitasse o dinheiro, mas não sei se você sabe ou não, mas Zac nunca encostou um dedo em seu dinheiro.
            - Mas ele aceitou! – Greg disse.
            - Porque queria pagar o tratamento do pai!
            - David está morto! – Greg disse sério.
            - Nunca esteve. – Vanessa riu – Ele estava em estado grave após o acidente de carro que sofreu porque estava sem freio. Mas é claro, que esse defeito foi causado por ordens suas. David sabia o risco que corria com você por perto, então pediu aos médicos para ser transferido para San Luis, mas queria ser dado como morto em Los Angeles. O doutor aceitou naquela época. David foi embora, e você acreditou que ele estava morto. Anos se passaram e mais um Efron entrou na sua vida.
            - Zac! – Gina suspirou.
            - Zac foi para a Nova York aos 18 anos – Vanessa sorriu – Ele havia conseguido a bolsa de estudos que tanto lutou. Eu não o impedi, era o sonho dele. Eu fiquei na cidade, e dois anos depois quando estava na metade do meu curso universitário, o senhor – ela apontou para seu pai – me obrigou a casar com Austin, para salvar a empresa. Eu aceitei, não tinha nada mais para perder, já havia perdido o Zac, não tinha mais noticias dele mesmo.
            - Como Greg sobreviveu? – Greg quis saber.
            - Fé! Apenas um milagre o faria viver, passou meses no hospital. Quando teve alta do hospital, se viu preso em uma cadeira de rodas, devido à falta de movimentos na perna. – Greg sorriu – Zac se dedicou 100% na faculdade, fez residência no melhor hospital do país, e fez especialização com o melhor Neurocirurgião, Derek Shepherd, que aceitou ver o caso de David, e percebeu que havia um meio dos movimentos voltarem. Fez a cirurgia de graça em consideração a Zac que era seu pupilo, e um dos mais promissores. David começou a fazer fisioterapia após a cirurgia e os movimentos voltaram. Hoje ele anda apenas com a ajuda de uma bengala como apoio.
            - Impossível! – Greg disse sem acreditar. – Mas, toda essa história não lhe dá a liberdade de você quebrar o acordo!
            - O senhor me deu uma brecha. – Vanessa disse sorrindo.
            - Como assim?
            - Se eu desse um herdeiro a você, eu poderia quebrar o acordo!
            - Eu vou ser avô?! – Greg disse.
            - Eu vou ser pai?! – Austin disse.
            - Sim e não.
            - Como assim Van? – Gina perguntou.
            - É simples mãe. Você e o pai vão ser avós, mas o Austin não será pai!
            - Você... – Greg deixou a frase no ar.
            - Me traiu? – Austin completou.
            - Há um ano eu encontrei Zac. Nós conversamos, esquecemos o tempo que ficamos separados um do outro, e alguns dias depois começamos a sair como namorados, e em seguida como amantes. Eu estou grávida de dois meses, do meu primeiro e único amor: Zachary David Alexander Efron.

            - Filho? – Starla chamava Zac que adormecia já em sua casa – Telefone pra você. É do hospital!
            Zac se levantou e foi até o fone, ouviu o que Amélia que estava de plantão disse e saiu em disparada ao hospital. Dylan que nunca havia visto o irmão trabalhar foi junto para acompanhar uma cirurgia de emergência.
            - O paciente está estável, mas há alguns coágulos em volta ao cérebro!
            - Tomografia?
            - Aqui senhor! – Amélia entregou o exame.
            - Leve para a SO, vou me preparar e te encontro lá!
            - Sim senhor!
            - Amélia! – Zac a chamou quando se lembrou de Dylan – Mudança de planos: fique na cabine com Dylan, ele nunca viu uma cirurgia neurológica de perto, não quero me preocupar com ele.
            - Sim senhor!
            - Você está bem? – Dylan disse.
            - Vou ficar! – Zac sorriu – Vá com ela!
            Dylan seguiu com Amélia para a cabine que dava pra ver a sala de cirurgia.
            - Você gosta de trabalhar com ele? – Dylan perguntou quando se sentou na poltrona.
            - Sim. – Amélia sorriu – Ele é o melhor!
            - É mesmo! – Dylan sorriu – Feliz Natal a você!
            - A você também!
           
            - Feliz Natal a todos! – Zac disse assim que entrou na SO.
            - Feliz Natal doutor! – todos responderam em coro.
            - É uma ótima noite pra salvar vidas!
            Zac se concentrou em seu trabalho. De vez enquanto olhava para o irmão que estava entretido em uma conversa com Amélia.

            - Porque há um pano na cabeça do paciente? – Dylan perguntou.
            - As vezes é necessário!
            - Como assim?
            - Na verdade, é uma paciente, é mulher.
            - E porque não contaram ao meu irmão?
            - Porque é Vanessa Hudgens a paciente. 

-------------------------------------------------------------------------


Feliz Natal! ho ho ho!
Pessoal, passando apenas para deixar um capítulo fresquinho para vocês nessa data especial.
Desejo um feliz natal a todos vocês. Que Deus continue abençoando a todos nós. 
Capítulo dedicado a: Rafaela Diniz, Julia Araujo e Zanessa 4ever. Vocês me alegram com os comentários ;)
- L

Último capítulo: 27/12 

sábado, 20 de dezembro de 2014

14° Capítulo

ZAC

            - Doutor, seu irmão está na linha a sua espera!
            Amélia disse para Zac quando o viu aproximar de seu consultório, ele agradeceu, e entrou e foi logo em direção ao fone fora do gancho que o aguardava, sentou em sua cadeira e sorriu ao ouvir a voz do irmão da linha.
            - Onde vocês estão?
            - Estamos a caminho, acho que em vinte minutos chegamos à rodoviária daí. Você vai nos encontrar?
            - É claro! Não convidei vocês pra passarem o Natal sem mim. Passaremos juntos, como nos anos anteriores.
            - Falando do passado, me diga por que você escondeu Vanessa da gente?
            - Como? – Zac não havia ouvido direito.
            - Vanessa! A mesma do tempo do colégio, ela não havia casado? Você é amante dela?
            - Quem contou essas coisas a você Dylan?
            - Ela própria. Ela me procurou na universidade.
            - Que dia?
            - Faz uma semana. É. Hoje completa uma semana. Porque o susto?
            - O que ela queria?
            - Falar sobre o passado. Ficamos conversando sobre o pai, a mãe, sobre eu e sobre você. Ela queria saber se eu me lembrava do tempo que moramos em Los Angeles.
            - Você falou o que sobre o pai?
            - Ela veio com um papo estranho.
            - Que papo estranho?
            - Ela perguntou como o pai tinha morrido.
            - O que você respondeu?
            - Que ela havia se enganado. O pai não morreu. Você sabe disso, todos sabem disso. É só olhar pra ele que percebemos que ele não está morto, oras bolas!
            Zac bufou.
            - Fiz alguma coisa errada?
            - Não, eu que fiz. Encontro vocês daqui a pouco!
            Zac desligou e discou alguns números em seguida.
            - Ela descobriu! – ele disse – Ela descobriu tudo Scott! - Amélia entrou na sala com um envelope a mão – Depois de ligo!
            - Convite para uma festa de Natal!- ela entregou o envelope – Achei que as pessoas não fizessem festas no Natal para pessoas que não são da família.
            - Nem eu! – Zac disse vendo os dizeres do convite.
            - Posso ajudar o senhor em alguma coisa?
            - Pode ligar pra Senhora Butler e dizer que agradeço pelo convite, mas não poderei ir a festa de Natal realizada por ela!
            - Desculpe senhor, mas... Quem é Senhora Butler? – Amélia fez cara de desentendida.
            - Vanessa!
            - Ah, a senhorita Hudgens!

            - Achei que não daria tempo!
            - Se trabalhasse menos! – um senhor mais velho disse ao vê-lo.
            - É bom ver o senhor também pai!
            - Como você está meu querido? – a mulher ao seu lado disse o abraçando.
            - Estou bem mãe!
            - Que bom! – Starla disse.
            - Podemos ir? – Dylan disse – Estou varado de fome!

            - Chegamos! – Zac disse abrindo a porta de seu apartamento para a família entrar.
            - É bem bonito, mas o que importa é se tem comida! Tem? – Dylan disse parando a frente do irmão.
            - Pode acabar com a geladeira! – Zac disse rindo.
            - É assim que se fala mano! – Dylan disse indo para a cozinha.
            - É muito bonito filho! – Starla disse. – Não é David?
            - É sim, muito bonito mesmo.
            - Quer se sentar pai? – Zac disse preocupado ao ver o pai abatido.
            - Estou bem. Mas quem sabe daqui a pouco.
            - Me deixa mostrar onde vão ficar. Scott vai passar alguns dias na casa de Ashley, estão noivos agora.
            - Que benção! – Starla disse.

            A família Efron estava unida como há vários anos não se via. Estavam a postos para o jantar, quando a campainha da casa tocou. Zac pediu licença e foi abrir a porta, por onde passou uma Vanessa furiosa que parou no meio da sala e o encarou. Ele fechou a porta, e a encarou.
            - Pode entrar, fica a vontade! – ele disse.
            - Como você pode? – Vanessa disse séria.
            - Pude o que?
            - Negar o meu convite. Você o quando eu lutei pra conseguir lhe convidar, não foi em segredo, Austin concordou. E você mais do que ninguém sabe que ele não tinha obrigação nenhuma em aceitar isso.
            - O que você deve dar em troca?
            - Como você se atreve a me perguntar isso?
            - Eu o conheço. – ele deu alguns passos a frente – Ele deve lhe cobrado alto, mas o que? Quanto? Talvez algumas noites de amor, ou o prazer dele, espancamento!
            - Eu não tenho que responder isso! – Zac riu.
            - Eu não vou passar o feriado com a mulher que eu amo casada com outro. Eu não posso fazer isso!
            - Vanessa?! – ela ouviu alguém a chamar.
            - Dylan?! – ela sorriu sem graça.
            - Algum problema filho?
            Vanessa ouviu a voz grossa e depois assimilou que a voz pertencia ao senhor mais velho que estava em pé com a ajuda de uma bengala como apoio.
            - Não pai! – Vanessa o encarou.
            - Ele é o seu...
            - Pai! – Zac completou – O mesmo que você pensou que estava morto! 
            - Quem é essa garota Zac? – Starla perguntou.
            - Essa é Vanessa, mãe. Vanessa Anne Hudgens, filha de Greg Hudgens.
            O silêncio que reinou em seguida foi quebrado apenas com o som da bengala de David tocando ao chão, e ele desmaiando, caindo ao chão logo em seguida.

            - Como ele está? – Vanessa perguntou ao ver Zac entrar no próprio quarto após um tempo.
            - Está bem. Só está um pouco perturbado por ouvir o nome do seu pai.
            - Por quê?
            - Você já sabe a história! – Zac disse rindo.
            - Conte a sua versão!

---------------------------------------------------

E é isso pessoal! rsrsrs
Bom, chegamos ao penúltimo capítulo. 
Se vocês forem boazinhas, talvez eu faça o último capítulo gigantesco, e divido em duas partes. Mas só se vocês forem boazinhas hein, então se comportem e comentem bastante ;)
Eu quero dedicar esse capítulo a Rafa, Zanessa 4ever, e a Paula que sempre comentem! 
Mas ao mesmo tempo quero agradecer a todos que leem a ficção. 
Até dia 24/12!
- L