domingo, 28 de setembro de 2014

Say Ok (Diga Ok) Vanessa Hudgens


- Hoje a noite, não se esqueça!
Eu já estava louco. Passei a manhã toda ouvindo Scott dizer que irá sair à noite com Ashley, sua quase namorada. Nem quando o professor chamou a atenção ele deixou de dizer, encarou o professor e disse em alto e bom som: “Eu vou sair com a garota que amo!”. Ele estava pirando, e estava me levando junto.
- Chega Scott!
- Chega? – Scott parou de caminhar e me encarou. As pessoas passavam por nos no corredor – Você não se importa nem um pouco comigo. Você tem tudo o que quer só por ser rico e bonito. Qualquer garota desse colégio se mataria pra ficar com você.
- Nem todas! – Eu disse vendo que havia o magoado.
- Me ajude com a Ashley que eu te ajudo com a Nessa!
- Nessa?! Ela não olha nem na minha cara!
- Confie no seu amigo. – Scott me deu um tapa no ombro e olhou nos fundos dos meus lindos olhos azuis. Sou honesto! – Confie em mim!
***
Cinema. Em pleno século XXI e Scott decidiu levar Ashley ao cinema. Eu não merecia um amigo burro como ele, mas fazer o que, amigos você conquista e não escolhe.
- Seu pai liberou o carro? – ele me perguntava pela milésima vez enquanto estávamos parados no sinal. – Como assim?
- Ele não iria usar, então disse que eu podia usar hoje, qual o problema?
- Nenhum. O carro é a solução dos nossos problemas!
- Temos que buscar sua garota?
- Não. – ele sorriu feito bobo - Ela nos encontrará na frente do cinema.
- Melhor!
Demorou uns quinze minutos pra chegarmos ao cinema, e mais cinco minutos para acharmos um bom lugar para estacionarmos. Mas não deu muito certo, o único lugar que achamos ficava a alguns metros da entrada do pequeno e único cinema da cidade. Essa é umas das coisas chatas de se morar em uma cidade pequena.
- Você não fez isso! – eu disse quando caminhávamos para a entrada do cine.
- Eu disse que te ajudaria! – Scott disse sorrindo.
- Ela vai me matar. – ele riu da minha cara – Estou falando sério!
- Não vai nada – ele sussurrou pra mim – Olá meninas!
Scott abraçou Ashley que sorriu, e logo após cumprimentou a morena que sempre foi meu sonho.
- Vamos entrar? – Ashley disse me fazendo sair do meu transe. – Eu e a Nessa compramos os ingressos, se vocês não se importam?!
- Mulheres independentes – Scott disse as fazendo rirem – Essas são pra casar! – ele disse me encarando.
Ashley enlaçou no braço de Scott e seguiram para dentro do hall do cinema. Eu olhei para o meu lado, e a percebi me olhando.
- Oi Zac.
- Oi Vanessa!
- Veio segurar vela comigo?
- Não sei. Ele disse que era pelo carro que havia me convidado. – ela riu – E você?
- Acabei de descobrir que fui traída por meses pelo meu namorado, que agora é ex, então Ashley pensou que eu devia sair, e aqui estou. – eu estava sem reação, não sabia que Austin havia feito isso – Vamos entrar ou vamos ficar aqui fora?
Eu sorri sem graça e seguimos pra dentro, encontramos Ashley e Scott comprando pipoca e refri, olhei pra Vanessa e perguntei se ela queria, ela agradeceu, mas recusou. Percebi neste momento, que a noite seria longa, muito longa.
Entramos e assistimos ao belo filme de terror “A morte do Demônio”. Achei maravilhoso, mas Vanessa que estava sentada ao meu lado não gostou nadinha. Ela apertou minha mão várias vezes, já que não podia apertar a mão de Ashley que mesmo que estava sentada ao outro lado dela, estava com as mãos ocupadas no cabelo de Scott enquanto se beijavam durante todo o filme.
            Após terminar o filme, Ashley e Scott decidiram que queriam comer pizza, e nos chamaram pra acompanharmos, Vanessa recusou dizendo que estava tarde e queria ir pra casa, Ashley fez uma careta em reprovação.
- Eu posso levá-la. – Eu disse fazendo os três me encararem, Scott com um sorriso bobo na cara – Eu a levo e depois busco vocês dois, quando quiserem.
- Você faria isso? Por livre e espontânea vontade? – Ashley disse.
- Porque não faria?
- Porque você é um Efron! - Ashley disse rindo.
- Aceita antes que eu mude de ideia – eu disse a Vanessa que abraçou Ashley e se despediu de Scott.
Começamos a caminhar em direção ao carro, quando chegamos, abri a porta para ela entrar, sorri ao ouvi-la me agradecer.
- Eu moro na rua...
- Eu sei o endereço – eu disse a cortando – Já passei por lá várias vezes!
Ela me olhou, e não falou mais nada. Não quis nem saber o porquê de eu ter passado por lá várias vezes, o que era verdade por sinal, mesmo que ela morasse no outro lado da cidade. Ficamos em silêncio o caminho todo. Quando chegamos, ela olhou para a casa e voltou a me encarar.
- Desculpe pelo que a Ashley disse.
- Já me acostumei com a fama de ser arrogante. Todos Efron são!
- Você não é! – ela sorriu - Você é legal, um doce na verdade.
- Eu sinto muito pelo que Austin fez contigo. Você não merece!
- Faz parte da vida. Mas foi bom, foi um motivo pro nosso término. – ela me olhou e sorriu.
- Eu adoro seu sorriso. – ela me encarou – Essa é a hora que eu estrago tudo!
- Como assim?
- Eu te amo, deste o primeiro dia do colegial, e estamos nos formando este ano e continuo te amando. Sei que é muito cedo para falar isso, mas... – ela me olhava apavorada e por um minuto cogitei a ideia de ir embora e sumir do mapa, mas pensei bem e percebi que essa seria a minha única chance – Quer namorar comigo?
Vanessa estava parada, sem reação me olhando.
- Não vai falar nada? Nem sim, nem não?
- Eu ainda sou um pouco ingênua com meu coração.
- O que você quer dizer com isso?
- Quando você está perto eu não respiro. Eu não consigo encontrar as palavras pra falar. Eu sinto faíscas, mas não quero ficar a fim de você, mais do que já estou. – eu a encarava sem entender - Eu não quero começar a ver você se eu não puder ser a única!
Entendi. A minha fama me atrapalhava mais uma vez.
- Eu só saía com outras porque não tinha você! Você sempre foi e sempre será a única em meu coração. Eu sei que é clichê falar isso, mas é verdade.
- Quando não estiver tudo bem, quando não estiver normal, você vai tentar me fazer sentir melhor? Vai dizer que está tudo bem? Você vai ficar comigo aconteça o que acontecer? Ou fugir? – Do que ela estava falando? Eu não a entendia - Diga que dará certo, que vai ficar tudo bem. Diga ok!
- Ok?! – eu disse receoso.
- Nas vezes que você me ligava, eu não sabia se devia atender toda vez ou não. Eu não sou como todas as minhas amigas que ligam para os garotos, eu sou tão tímida. – ela sorriu meigamente - Mas eu não quero ficar a fim de você se você não me tratar da maneira certa. Eu só posso começar a te ver, se você puder fazer o meu coração se sentir seguro, me deixe saber se vai ser você, você tem algumas coisas a provar.  Me deixe saber que você vai me manter segura.
Sem entender uma palavra se quer que ela havia dito, eu me aproximei e a beijei, e pra minha surpresa ela correspondeu ao beijo.
- Eu não quero que você fuja – ela disse quando nos separamos.
- Eu não vou fugir!
- Então me deixe saber que você vai me ligar na hora certa, me deixe saber que você não vai ser tímido. Você vai enxugar minhas lágrimas? Você vai me abraçar apertado? – ela me encarou.
- Sempre que precisar de mim eu vou estar ao seu lado, minha namorada!
Quando acabei de dizer a palavra “namorada” ela sorriu, e me encheu de alegria ao ver que ela havia respondido a minha pergunta com aquele sorriso.
- Eu tenho que ir! – ela disse.
- Até amanhã. – eu disse inocente.
- Até amanhã! – ela abriu a porta e saiu. Quando ela estava próxima a porta da casa, ela se virou e me encarou. Eu saí do carro e fui em sua direção, a abracei e a beijei novamente.
- Eu te amo! – ela disse, e entrou na sua casa.
Essa havia sido a melhor noite da minha vida. Eu havia conquistado o meu grande amor.

Fim.
-------------------------------------------------------------------------------------------------
 Olá pessoal!
Não preciso dizer que está é minha eterna música preferida né?! rsrs Acredito que assim como cada um de vocês!
Espero que tenham gostado... E não se esqueça, ao 100° comentário terá uma surpresa. Estamos quase lá ;)
- L

PS: Irei postar a partir de agora todo final de semana. Sábado ou domingo. Não há dia certo!

terça-feira, 23 de setembro de 2014

3 horas da manhã (Laís e Gusttavo Lima)


            - Vocês vão se encontrar hoje?
            - Eu não sei! Ele tem uma reunião familiar, não sabe que horas irá acabar.
            Vanessa estava conversando com Ashley, sua melhor amiga. Estavam passando a hora de almoço na praça de alimentação do shopping onde trabalhavam juntas na boutique “Sexx”.
            - Ele podia assumir o relacionamento de vocês! – Ashley disse inocente.
            - Ah claro! – Vanessa fez uma careta – E o pai dele vai adorar essa mudança nos planos.
            - Como assim?
            - A vida do Zac já está escrita deste que ele nasceu. Ele me confidenciou que acredita que o pai está preparando algo muito grande, capaz de mudar a vida de todos em volta.
            - Essa é a hora do Zac dizer ao pai sobre você!
            - Não Ash! – Vanessa disse calmamente – Se Zac se desvirtuar dos caminhos já traçados, ele será expulso da família, sua parte passará para o irmão, e ele não poderá mais usar o sobrenome Efron.
            - É! Ele está ferrado. Se eu fosse uma Efron também não contaria para o meu pai que transo com um plebeu algumas noites. Já que eu seria fruto do casal realeza de nosso país. Como a Starla agüenta ser casada com David Efron.
            - Ele é o magnata do Petróleo. Ele pode acabar com a vida de todos em sua volta, e eu não quero que ele acabe com Zac.
            - Porque você o ama! – Ashley disse sorridente – Vamos voltar ao trabalho, antes que nós, plebéias viramos desempregadas!
           
***
            Eram seta horas da noite e Vanessa estava na cozinha de seu pequeno apartamento preparando seu jantar. Estava ouvindo música para alegrar a noite, quando se assustou ao ouvir a campainha. Desligou o fogão, e foi até a porta.
            - Oi! – ela sorriu ao ver o loiro de terno e gravata esboçando um sorriso torto.
            - Oi! – ela disse.
            - Posso entrar, ou vai me deixar aqui fora?
            - Eu não seria louca o suficiente pra deixar um Efron no corredor.
            Zac riu e ao entrar a abraçou e se beijaram em seguida.
Há um ano estavam juntos às escondidas. Ninguém além de seus melhores amigos, Ashley e Scott sabiam do caso deles.
Zac fechou a porta ainda aos beijos com Vanessa, a encaminhou em linha reta até trombarem no sofá.
- Ai! – Vanessa reclamou da batida ao móvel.
- Desculpa! – Zac disse rindo acompanhando Vanessa que agora também ria sem parar – Não era minha intenção fazer isso!
- Você não devia estar em uma reunião? – ela o encarou.
- É às oito horas, e é na minha casa. Quer dizer, na casa de meus pais.
- É engraçado que você ainda tenha que morar lá. Você já é maior de idade sabia?!
- Rá rá rá engraçadinha! – Zac zombou. – Você sabe sobre as regras!
- Um Efron só sai de casa casado! – Vanessa disse – Você já me disse as regras.
- Então, porque não aceitou meu pedido?
- Eu não posso casar com você!
- Por quê?
- Eu não combino com você. Você é rico, não, multimilionário, e eu sou o que? Uma vendedora que sobrevive com mil reais por mês.
- Primeiro: Eu conseguiria viver com mil reais por mês.
- Me faça rir!
- Segundo. – ele disse levantando o dedo – Eu não sou milionário, meu pai é!
- Tá na mesma. – Vanessa disse se levantando do braço do sofá seguindo para cozinha – Se seu pai morrer, a fortuna vai toda pra você!
- Metade! – Zac disse enquanto sentava no braço do sofá. – Eu tenho um irmão se lembra?! – Vanessa o encarava séria. – Eu sei que você não liga pro meu dinheiro, mas eu tomei a decisão de casar com você, e o que você fez? Me disse não, na lata.
- Seu pai nunca iria aceitar! – ela disse com uma voz triste.
- Ele não tem que aceitar. – Zac disse indo ao encontro dela – Diz sim?
- Zac...
- Eu não aceito não como resposta! – ele disse rindo ao enlaçar a cintura de Vanessa – Qual é a resposta?
- Não! – ela disse sorrindo.
- Resposta errada.
- Nós não podemos...
- Podemos! – ele disse a interrompendo – Por favor!
- Se você casar comigo, perderá tudo. Tudo mesmo!
- Eu quero correr esse risco. – ele olhou nos olhos de Vanessa – Se você dizer “Não” mais uma vez, eu saio por aquela porta – ele apontou a porta – E nunca mais volto! – Vanessa o encarou surpresa – Eu te amo, será que é tão difícil aceitar isso?
Zac estava esgotado. Havia feito o pedido há uma semana, e durante todo esse tempo, sofreu ao lembrar a resposta. Não. Era a última coisa que ele imaginou que Vanessa responderia, mas agora ia colocar um ponto final nessa história.
- Vamos fazer um trato? – ela disse.
- Sem trato. É sim ou não, e pronto.
- Você vai à reunião, que começa daqui vinte minutos – ela olhou para o relógio da parede - Você conta pro seu pai sobre nós, e se ele for a favor, eu me caso com você, mas se ele for contra. – ela respirou fundo - A minha resposta é não, e jamais voltaremos nos ver.
- Você se lembra que eu te amo? – Zac perguntou sério – Mas acho que você não me ama, é por isso que está tentando mudar a situação. Porque essa atitude não é de alguém que ame.
Vanessa deixou cair uma lágrima de seus olhos: - Me desculpe!
Zac a soltou, e levou as mãos aos cabelos enquanto voltava para sala e se sentava no mesmo lugar de antes. Ele olhava diretamente a porta. Como se ela fosse dar a resposta para qual caminho ele deveria seguir.
- Se ele for contra, você termina comigo? – ele a encarou.
- Sim.
- Quer terminar agora ou depois? – ele disse sarcástico – Ele não vai aceitar. Eu o conheço melhor que você. Eu fui criado por ele, eu o conheço como a palma da minha mão, ele jamais vai nos aceitar juntos.
- Não custa tentar.
- Você está me pedindo pra se rebelar contra minha família!
- Você disse que iria assumir riscos. – ela o desafiou.
- De perder meu emprego na empresa, de meu pai jamais voltar a olhar na minha cara, mas... Eu vou perder toda minha família! Minha mãe não vai me perdoar!
- Quer desistir? – Vanessa perguntou receosa.
- Vamos fazer do meu jeito. Se ele aceitar, que é impossível, nós nos casamos semana que vem. – Vanessa ficou pálida – Mas se ele for contra, que é o que vai acontecer, nós casamos daqui um ano.
- Um ano?
- É. Vou ficar desertado, não terei emprego, a minha conta bancaria será anulada, vou ficar pobre igual mendigo, acho que mais pobre do que o mendigo, por que eles têm roupas, não sei nem se vou poder ficar com minhas roupas já que foi comprado com o dinheiro da família, indiretamente, mas foi. Não terei mais carro.
- Entendi. Você está tentando me dizer que vai ser um erro falar isso para seu pai.
- Me dê um mês? Guardo uma quantia considerável na Suíça, e depois eu falo pro meu pai.
- Você só pensa em dinheiro?! – Vanessa disse incrédula.
- Eu já nasci nessa família, eu não sei o que é viver sem dinheiro. E vou ficar desempregado por um tempo, não vou ficar à custa suas. O que você acha?
- Um mês? – ela disse desconfiada.
- Apenas um mês! – Zac disse levantando as mãos como juramento – Topa?!
***
- Está atrasado Zachary!
Zac sentiu calafrios ao ouvir a voz da mãe, assim que colocou seus pés na casa da família.
- Oi mãe! – ele respondeu.
- Seu pai está no escritório.
- Com licença!
Zac seguiu o longo corredor e ao chegar às portas duplas de madeira maciças, estremeceu. Se já havia levado uma bronca da mãe, imagine o que iria receber do pai.
- Posso entrar? – ele disse colocando meio corpo pra dentro do móvel.
- Atrasado! – Seu pai disse.
- Me desculpe! – Zac disse respeitosamente.
- Entre. Espero que você se comprometa melhor com seus deveres, já que é herdeiro da Petrolina.
- Sim papai!
Zac sentou na poltrona livre a frente da mesa de seu pai. Ao seu lado estava um dos amigos, e sócio majoritário da empresa, o Phil Collins. A reunião durou por uma hora, e após todos se reuniram na sala de jantar da casa.
- Tenho uma novidade – David disse – Na reunião decidimos fortificar o legado dos Efron. Como? Juntando os Efron aos Collins. – Zac engasgou com a bebida.
- Que horas foi decidido isso? – ele perguntou.
- Foi antes de você chegar, foi o primeiro item que discutimos, e como tínhamos a mesmas opiniões, foi o mais rápido possível, né Phil?
- Sim David. Eu me senti muito lisonjeado com a oportunidade.
- O que é meu amor? – Starla perguntou ao marido.
- Zac irá se casar!
- O QUÊ? – Zac gritou. – Eu não posso me casar!
- É claro que pode! – David riu – A sortuda será Lily a filha de Phill. Gostaram da novidade? Vai ser ótimo pra família.
Todos estavam sem reação. David e Phil sorriam como se a noticia fosse a mais agradável possível. Dylan, irmão de Zac, ria pela cara que o irmão fazia. Starla encarava o filho mais velho, buscando respostas pelo súbito ataque de pânico que havia ocorrido.
Zac se levantou da cadeira, nem pediu licença e subiu as escadas rumo ao seu quarto. Ao entrar, trancou a porta e pegou seu celular, discou o número de Vanessa.
- Alô?! – ela disse com voz sonolenta.
- Nosso plano deu errado.
- Como assim? – ela disse com voz menos sonolenta.
- Você estava dormindo?
- São dez e meia Zac!
- Okay, não era isso que eu queria lhe falar.
- O que aconteceu?
- Meu pai me arranjou um casamento.
- Como assim?
- Pra fortificar a empresa e o nome da família eu serei obrigado a me casar com Lily Collins!
- O que vamos fazer?
- Adiantar o plano!
- Não entendi.
- Amanhã à noite eu passo aí, e falo o que estou planejando.
- Tudo bem. Boa noite!
- Boa noite!
***
            - O que? – Ashley disse assim que Vanessa contou o que havia acontecido – Ele vai se casar?
            - Fala baixo, você quer que as outras garotas escutem! Estamos no local de trabalho se ficarem sabendo disso estarei frita.
            - Ferrou se! – Ashley disse olhando para a entrada da loja – Olha quem está vindo!
            Vanessa encarou Scott entrando na loja. Estava com um envelope nas mãos.
            - Zac pediu pra você assinar esse documento.
            - Documento? – ela disse.
            - É. Ele está transferindo tudo pro seu nome.
            - O que? – Vanessa não havia entendido, Ashley estava com a boca aberta.
            - Demoraria muito ele transferir o dinheiro pra Suíça, então ele transferiu pra sua conta. Se você entrar na sua conta você verá que é milionária agora, mas ele precisa que você assine esse documento alegando que está ciente do que ele está fazendo.
            Vanessa assinou o documento e entregou a Scott, que sorriu para ela.
            - Parabéns pelo noivado!
            Scott saiu deixando Vanessa pálida e Ashley curiosa, assim como todas as outras funcionárias que ouviram a palavra “Noivado”.
            - Você está noiva? – Ashley disse – Porque não me contou?
            - Eu também não sabia!
            - Eu não sabia que você tinha namorado? – Disse uma vendedora.
            - Ainda mais milionário! – disse outra.
            - Vão cuidar da vida de vocês! – Ashley disse “espantando” as outras funcionárias – O que está acontecendo Vanessa?
            - Eu não sei! Ele disse que iria resolver o mais rápido possível, mas não achei que seria tão rápido.

            Na empresa da família, Zac relia os documentos para as reuniões da tarde, se assustou quando o pai entrou na sala de supetão e com uma cara nada agradável.
            - Quem é Vanessa Anne Hudgens? – Zac o encarava sem dizer sequer uma única palavra – Estou falando sério Zac!
            - É minha namorada!
            - Namorada?! – David riu – Está de brincadeira comigo?
            - Não! Eu não iria contar agora, mas você veio com o lance de casamento...
            - Então você decidiu passar todos os seus bens para ela! – David disse o interrompendo – Reunião em casa, hoje as oito. Não falte, não atrase!
            Zac não pode nem responder, seu pai já havia saído de sua sala.
***
            Oito horas da noite.
            - Você está bem?
            - Eu não sei como estou. Acho que nervoso e ansioso me define no momento.
            - Seu pai já apareceu?
            - Ainda não. Ele está trancado no escritório com minha mãe!
            - Estão conversando?
            - Eu preferia que eles estivessem transando! – Vanessa riu – Assim ele estaria mais calmo, quando chegasse a hora de falar comigo.
            - Vai ficar tudo bem!
            - Tenho que desligar. A hora chegou!
            - Boa sorte.
            - Eu te amo! – Zac disse ao telefone e a mãe sorriu a sua frente – Não se esqueça disso!
            Zac encarava a mãe que o olhava intrigada.
            - Eu sinto muito! – Starla deixou cair uma lágrima. Zac se aproximou e secou seu rosto, a beijou na testa.
            - Eu já sabia o que iria acontecer, quando eu negasse uma ordem dele!
            - Eu tentei! – ela disse e Zac sorriu.
            - Eu sei que sim Mãe!
            Zac beijou a mãe mais uma vez e seguiu para o escritório do pai, que já estava sentado a espera do primogênito. Zac fechou a porta atrás de si, e se aproximou da grande mesa de madeira.
***
            Vanessa estava igual uma louca pelo apartamento. Andava de um lado pro outro sem parar. Estava ansiosa para ouvir a voz de Zac. Já havia se passado sete horas deste que Zac entrara no escritório para a conversa com pai. E deste então, ela não havia tido noticias suas.
            - Atende, por favor! São três horas da manhã e eu ainda estou te esperando. O jantar está gelado, muito gelado por sinal. Eu só quero ouvir tuas histórias bobas, os teus improvisos pra me ver sorrir. Estou na solidão essa noite. O teu carinho faz falta! Me liga por favor!
            Vanessa deixou pela quinta vez uma mensagem de voz. Não havia se quer jantado. O nervosismo havia tirado toda a sua fome. Ouviu seu celular tocar.
            - Oi! – ela fechou os olhos ao ouvir a voz de Zac.
- Oi! Como você está?
- Ele me deu dois caminhos: Eu me caso com a Lily, ou com você!
- Qual foi sua decisão?
- Eu ainda não me decidi. – Vanessa sentiu calafrio. – Eu ainda não me decidi porque ambas tem conseqüências.
- Quais? – ela perguntou com voz trêmula.
- Se eu me casar com Lily eu continuo com minha via do jeito que está.
- Eu como sua amante?!
- É! – Vanessa riu sarcasticamente – Se eu me casar com você. – ele fez uma pausa – Eu sou deserdado, e serei obrigado a se afastar definitivamente da minha família. Nunca mais poderei ver minha mãe, meu irmão. 
- Eu sinto muito. Eu queria poder decidir por você, mas não posso.
- Eu não posso me afastar da minha família, Nessa.
Vanessa fechou os olhos ao perceber que estava o perdendo.
- Eu não posso te obrigar a me ligar de madrugada pra dizer que me ama, te fazer querer viver esse amor em nossa cama. Você só precisa me escolher, mas já vai amanhecer, e com a noite vão os sonhos. E com eles você.
- O que você quer dizer?
- Acabou Zac. Fique com a tua família.
Vanessa desligou. Não conseguia mais segurar as lágrimas, deitou ali mesmo no sofá e adormeceu. Quando acordou percebeu que já havia perdido a hora de ir para a Boutique. Levantou-se, tomou um banho e saiu do apartamento.

- Como assim ela não veio trabalhar?
- Você está vendo ela aqui Zac? Não! Porque ela não veio trabalhar, não avisou, e ninguém sabe onde ela possa estar.
- Se você a ver me avise, por favor!
- O que aconteceu?
- Ela terminou comigo Ashley.
- Eu sinto muito!
- Não mais do que eu!
Zac se retirou da loja com Scott ao seu lado. Estavam à procura de Vanessa deste às oito da manhã, quando Zac ligou várias vezes e ela não atendeu. Haviam ido ao apartamento, mas ninguém atendia o interfone, então seguiram para a boutique onde não a encontraram.
- O que vamos fazer agora?
- Você fez as transferências na conta dela? – Zac encarou o amigo.
- Não deu tempo. Seu pai pegou os documentos antes de eu fazer. Por quê?
- Vamos ao banco, e rastrear a conta dela. Se ela for sair da cidade ela terá que tirar o dinheiro.
- Nem sempre. As pessoas usam o cartão pra tudo.
- Menos Vanessa. O cartão dela só funciona no banco e desta cidade.
Zac e Scott entraram no automóvel e seguiram para o banco. Ao chegarem foram ter com o gerente. Ele ficou desconfiado, mas não recusou rastrear a conta de um terceiro. Zac sentiu pela primeira vez a vantagem de seu um Efron.
- A conta está bloqueada! – o gerente disse.
- Como assim?
- Ela pode retirar, mas não há como fazer nenhum depósito.
- Ela percebeu que não havia feito o depósito, então bloqueou a conta.
- Pra não ter nada relacionado a mim! – Zac complementou o pensamento de Scott – Obrigado pela ajuda! – Zac cumprimentou o gerente.
- Sempre a disposição!

Vanessa ouviu pela terceira vez seu celular tocar. Ela olhou para o visor.
- Ashley eu não quero falar com ninguém agora!
- Zac está a sua procura! – Ashley disse rápido com medo de Vanessa desligar.
- Ele sabe onde estou?
- Eu o despistei, mas acho que ele vai descobrir em algum momento!
- Vanessa! – ela se virou.
- É ele?!
- Daqui a pouco eu te ligo! – Ela desligou o telefone e o encarou. – Como me achou?
- Não foi fácil. Você poderia ter deixado algumas dicas pelo caminho.
Zac se aproximou de Vanessa que estava sentada em uma pedra de frente a praia.
- Não se deve vir de terno na praia! – ela disse ao ver ele sentando ao seu lado.
- Não se preocupe. Hoje é meu último dia de terno! – ele a encarou – Você não me deixou terminar de falar na ligação da madrugada.
- Você ama sua família.
- E eu também te amo. – ela o encarou – A amo tanto que decidi ficar com você, mesmo que tenho que ir contra minha família.
- Seu pai vai te matar!
- Que me mate então.
- E sua mãe? Seu irmão?
- Dylan está em Nova York pra terminar a faculdade. D. Starla está animada para o nosso casamento.
- Como assim nosso casamento? – Zac sorriu ao ver o espanto de Vanessa.
- Meu e seu. O nosso casamento. Simples assim.
- E a Lily?
- Vai se casar com qualquer outro por aí.
- Seu pai...
- Esquece meu pai. Ele é contra mim, mas não contra a família. Meu irmão e minha mãe estão do nosso lado. Então, só falta o pedido oficial!
- Como assim?
Zac se ajoelhou a frente de Vanessa e disse: - Quer casar comigo?
Vanessa o encarava surpresa e pela primeira vez disse o que Zac queria ouvir.
 - Sim. – Ele sorriu – Sim, sim, sim. É o que eu mais quero!


Fim.

______________________________________________



Meninas desculpem pela demora para voltar, mas só agora consegui terminar essa fic.
Logo logo tem surpresa, mais será revelada quando "My Dream" atingir seu 100° comentário. Estou postando hoje (terça) como pedido de desculpas, mas logo logo volto a postar de sábado.
Divulgando a fic da CL' a "Zac Efron e Vanessa Hudgens. Mais do que paixão, mais do que prazer..." Estou amando essa ficção por sinal, assim como estou apaixonada pela da Anne "Proposta Indecente" que se transformou um vício para mim rsrsr
Logo logo novidades, não se esqueçam!!!
- L

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Cuida bem dela (Henrique e Juliano)

          
Existe um ciclo de vida. Um ciclo que não podemos mudar.
Nascemos, vivemos e morremos. Uns vivem esse ciclo durante anos, outros se quer tem a chance de iniciá-lo. Por sorte ou por azar é o destino que comanda tudo, até a duração do ciclo.
Durante nossas vidas, somos destinados a ter metas e objetivos. Uns se tornam bem sucedidos, outros uns fracassos. Existem momentos que acreditamos que tudo pode dar certo, e logo em seguida, o nosso mundo “cai”, e nada mais dá certo. São momentos que colocamos nosso futuro em jogo. E somos os únicos com o poder de mudar o placar e vencer o jogo.

- Como você está?
- Por enquanto bem! – Zac sorriu – Não se preocupe comigo Dylan!
Zac e Dylan estavam sentados no último banco da igreja. Após um ano de noivado, finalmente Ashley Tisdale estava se casando com Christopher French. Mas o motivo da preocupação de Dylan estava ao lado esquerdo da noiva, a sua melhor amiga e dama de honra: Vanessa Hudgens.
- Ela está linda! – Zac disse elogiando a ex – As duas estão.
***
- Fico feliz que você aceitou o meu convite!
Zac se virou e deparou com sua melhor amiga sorrindo de orelha a orelha, e não era pra menos, era o dia de seu casamento. Abraçaram-se forte, matando a saudade do tempo que não se viam.
- Porque não me cumprimentou na igreja? – Ashley fingiu estar magoada.
- Muitas pessoas queriam te parabenizar, e não queria esperar em um fila para abraçar a minha eterna melhor amiga! – ele disse sorrindo, fazendo assim surgir novamente o sorriso gigantesco no rosto da loira. – Estou perdoado do meu erro?
- Vou pensar no seu caso – Ashley disse brincalhona – Mas agora eu preciso de uma bebida!
- Garçons vão e voltam com taças de champanhe pelo salão!
- Preciso de algo mais forte.
Ashley passou rapidamente por Zac, seguindo até o bar. Zac a seguiu, e sentou ao seu lado na banqueta a sua frente. Ashley encarou Zac e pediu duas doses de tequila ao barman.
- Preciso dessa bebida. Estou muito estressada.
- Todos que casam ficam estressados no grande dia – ambos viraram suas doses por goela abaixo – Acho que é porque a alma prescinde que está sendo trancada em uma gaiola, como se fosse um passarinho pequeno e frágil.
- Nossa! – Ashley o encarou – Virou filósofo?
- Não! – Zac riu.
- Você está bem? – ela disse séria.
- Porque não estaria?!
- Me diga você.
Zac percebeu a mensagem enigmática por trás da pergunta. Ele bebeu mais uma dose que foi posta pelo barman, e respirou fundo antes de encarar Ashley novamente.
- Eu estou bem. Não é porque a vi que vou me embrigar como antes. Confie em mim! Não vai acontecer nada de mais. Ela não fala comigo, sequer olha na minha cara. E ela está feliz com Austin...
- Estão noivos! – Ashley disse o interrompendo – Vanessa e Austin estão noivos! Eu achei que você devia saber.
- Há quando tempo?
- Pouco mais de uma semana.
Ashley percebeu que Zac estava abalado com a noticia. Ele ficou em silêncio encarando o balcão de bebidas a sua frente. Ashley o olhava intrigada quando seu marido se aproximou e a chamou.
- Você vai ficar bem? – ela perguntou a Zac. – Tenho que cumprimentar algumas pessoas!
- É sua festa, não tem que bancar a babá pra cima de mim!
Ambos riram. Ashley o beijou na bochecha e saiu ao lado de Chris. Zac por sua vez, pediu uma dose de uísque para o barman, que em um segundo colocou a dose sobre a mesa a frente de Zac, que tomou o liquido âmbar em menos tempo, em apenas um gole.
- Desse jeito terei que levar você embora em meu ombros.
- Vai se ferrar Dylan! – Zac respondeu com rispidez ao irmão que lhe encarou com cara séria em resposta.
- O que aconteceu?
- Ela está noiva!
- Não! – Dylan riu – Ela já se casou, estamos na festa de casamento – Zac o encarou.
- Não estou falando da Ashley!
- Não?!
- É claro que não. Não sou tão burro, e nem estou bêbado pra não saber onde estou.
- Então, de quem você estava falando?
- Vanessa
- Uou – Dylan se calou – Eu não sei o que posso dizer.
- Não há nada pra falar. Eu a tive por um bom tempo, e não fiz a coisa certa. A vida segue. Ela achou outra pessoa que a faz feliz.
- Não como você. Ele não a faz feliz como você fez.
- Ela é feliz com Austin e é isso que importa.
- Traz uma garrafa de Jonnie Walker! – Dylan disse ao barman.
- Não podemos distribuir a garrafa senhor.
- Eu pago a garrafa!
O barman olhou desconfiado para Dylan, que apenas devolveu o olhar com sobrancelhas erguidas enquanto Zac olhava para o copo vazio.

-Vou dançar um pouco! – Dylan comunicou vendo o irmão colocar a terceira dose de uísque no copo – Vai devagar. Desse jeito você acaba com a garrafa em cinco minutos.
- Sabe Dylan, eu te amo. – Zac disse olhando para o irmão – Te amo tanto, que estou te odiando nesse exato minuto.
- Eu só não quero que você fique mal!
- Eu estou bem.
Dylan queria acreditar, mas o medo de Zac ter uma recaída e voltar a utilizar substâncias como forma de seu refúgio o preocupava.
- Confie em mim! – Zac disse – Pode ir dançar ou fazer qualquer outra coisa. Eu não vou sair daqui, e se eu sair, o mais longe que vou ir é no banheiro. Que no caso é imediatamente que vou até lá!
Zac se levantou e caminhou até o toalete do salão de festas. Dylan ficou no bar rindo enquanto seguia com os olhos o maluco do irmão.
- Oi!
Dylan olhou para seu lado e encarou o rosto que tanto conhecia.
- Vanessa! – ele sorriu – Como estás?
- Bem. E você?
- Indo. – ele disse – Nem todos têm sorte!
- Eu não entendi nada do que você falou.
Dylan riu com Vanessa, que se aproximou e sentou no lugar onde Zac estava sentado minutos atrás.
- Parabéns!
- Pelo quê? – Vanessa quis saber.
- Pelo noivado. – Dylan disse e Vanessa abaixou a cabeça.
- Dylan...
- Não precisa explicar. Você não deve satisfação a ninguém. Tem todo o direito de ser feliz. – ele sorriu falsamente.
- Já namorei um Efron e sei quando vocês estão mentindo.
- Eu quero que você seja feliz, de verdade. Mas, ao mesmo tempo fico preocupado com meu irmão.
- Ele sabe?
- Ele que me contou.
- Como ele está?
- Está bem. Passou por poucas e boas, mas agora está tudo certo novamente.
- É verdade o lance da reabilitação?
- Infelizmente. – Dylan sorriu desanimado – Me mudei definitivamente para LA logo em seguida. Estou com ele quase vinte quatro horas por dia, tentando o fazer voltar a ser o que era antes. Minha mãe achou que assim seria mais fácil para ele ficar sem vícios.
- Sua mãe sempre protetora – Vanessa sorriu ao se lembrar da dedicação de Dona Starla para com os filhos – Eu sinto muito!
- Não se culpe agora. É tarde demais, devia ter se culpado em 2010 quando você quebrou o coração dele, e eu tive que juntar os pedaços. – Dylan disse divertido.
- Não achei que ele ficaria mal, sempre foi o mais forte da relação.
- Hoje ele está mais forte. Não só fisicamente, mas emocionalmente também.
Dylan e Vanessa ficaram conversando por algum tempo, até que Dylan deu a perceber que já passava da hora do Zac voltar a aparecer, mas ele havia sumido. Fazia meia hora em que não o via, se despediu de Vanessa e começou a andar entre centenas de convidados a procura do irmão.
- Até que enfim encontrei você! – Dylan disse assim que encontrou Zac encostado na porta que dava para o jardim – Porque você não voltou ao bar?
- O que estava conversando com ela? – Zac encarou o irmão com cara de poucos amigos.
- Não sei do que você está falando! – Dylan disfarçou.
- Eu não estou bêbado, eu vi vocês conversando.
- Não aconteceu nada demais.
- Não foi isso que perguntei.
- Me desculpe.
- Deixa pra lá.
Zac deu as costas para o irmão e voltou ao bar. Sentou-se em seu lugar, e pediu mais uma dose de uísque.
- É sempre bom te ver.
Zac ouviu a voz masculina ao seu lado, e ao se virar se surpreendeu ao ver quem era. Mas se surpreendeu mais ainda, não pelo fato de ser o atual de sua ex, mas sim por ele estar falando com Zac.
- Austin! – Zac o cumprimentou. – Faz tempo que não nos vemos!
- É exagerado dizer isso, já que nos vimos a dois dias no supermercado.
- Fato. – Zac riu – Deixa-me corrigir a frase: “Faz tempo que não nos falamos.”
- Agora faz sentido. Há quando tempo não nos falamos? Desde o que? 2011?
- Por aí!
Zac e Austin ficaram em um silencio perturbador.
- Esqueci de te parabenizar. – Zac o encarou – Parabéns pelo noivado!
Zac encarou Austin esboçando um sorriso verdadeiro. Austin ficou sem reação.
- Não era a minha intenção de ofender. – Austin disse.
- Eu acredito que você ainda a ama. – Zac engasgou com a bebida – Não precisa disfarçar tá explícito em seu olhar. Você a olha com paixão, amor, afeto... Não importa quanto tempo passe, vocês sempre terão uma ligação.
- Eu não sei o que posso dizer para amenizar suas palavras.
- Acredito que nenhuma palavra irá amenizá-las.
Zac abaixou o olhar, e ao voltar a olhar para Austin, percebeu Vanessa ao longe encarando os dois. Ele sorriu.
- Sabe aquela menina sentada ali, com olhar desconfiado, tão inocente? – Zac apontou para Vanessa, e Austin ao perceber de quem se tratava voltou a encará-lo – Já fui doente naquela mulher. – Zac sorriu – Agora ela está olhando de lado para nós. Deve estar sem graça vendo o presente e o passado conversando sobre um assunto, que ela já sabe qual é.
- Você ainda se importa com ela! – Austin disse com um sorriso em seu rosto.
- Esse é o meu único aviso. Ela decidiu ficar contigo, então faça ela feliz.
- Pode deixar!
- Cuida bem dela, porque você não vai conhecer alguém melhor. Promete pra mim, o que você jurar pra ela, você vai cumprir?
- Prometo! – Zac colocou a mão no ombro de Austin.
- Ela gosta que reparem no cabelo dela.
- Já confirmei isso! – Austin disse rindo – Ela fica uma fera quando ninguém nota a mudança. – Ambos riram.
- Foi por um triz, mas fui incapaz de ser o que ela sempre quis. – Zac olhou além de Austin, e viu Vanessa indo na direção deles – Faça ela feliz!
E saiu deixando Austin sozinho e abalado com o que havia acabado de acontecer. Zac ainda amava Vanessa, mas o destino mudou o rumo e separou duas almas gêmeas.
- O que aconteceu? – Vanessa disse ao se aproximar de Austin.
- Pode se disser que Zac acabou de dar a benção para o nosso casamento.
- Não precisamos da benção dele. – Vanessa disse rindo.
- Precisamos sim! – Austin a encarou – Ele ainda te ama, e acredito que seja para sempre esse sentimento!
***
- Posso sentar?
Zac ouviu a voz doce e meiga de Vanessa atrás de si. Ele deslizou para o lado e ela sentou ao seu lado no banco no jardim.
- Austin me contou sobra a conversa de vocês.
- Contou é?
- Ele disse que você ainda me ama! – ela o encarou.
- Eu não disse isso a ele – Zac disse rindo.
- Queria saber se é verdade ou não?
- Por quê? – ele a encarou pela primeira vez durante a conversa – Qual a importância da resposta?
- Dependendo da sua resposta eu decido se vou ou não me casar. Eu preciso saber!
Zac se levantou e deu alguns passos a frente. Virou e a encarou sentada.
- Você vai se casar!
- Então Austin estava errado em achar que você ainda me ama!
- Austin está certo. – ela levantou o olhar e o encarou – Eu ainda te amo. E sinto sua falta. Mas você precisa ficar com ele. Há uma diferença entre o amor verdadeiro e o amor certo. Eu posso ser o amor verdadeiro, mas é com ele que você tem que ficar.
- Você não pode me dizer isso! – Vanessa disse rindo, segurando as lagrimas.
- Posso! Ficamos juntos por cinco anos, e no final eu não fiz a coisa certa – ele riu – Dizem que quando você namora há muito tempo, você não casa com seu namorado, e sim com o próximo. Vocês estão juntos a três anos e já estão noivos. O ditado faz sentido.
- Eu queria me casar com você!
- Há quatro anos. E eu não quis. Não me achava pronto, e jamais vou estar.
- Você só vai saber se está pronto quando acontecer.
- E vou machucar outra pessoa. Assim como fiz com você. Sejamos francos Vanessa, nosso tempo acabou, foi bom enquanto durou.
- Zac. – Vanessa disse deixando cair uma lágrima.
- Eu sempre vou te amar! Mas não sou o homem da sua vida. Não te dei o devido valor. Eu não te mereço.
- Você acabou complicando mais ainda minha cabeça. – Vanessa disse se levantando do banco onde permaneceu sentada durante toda a conversa.
- Se case com Austin. É a coisa certa a fazer.
Zac se aproximou de Vanessa e a beijou na testa, e a abraçou.
- Eu te amo Nessa!
- Eu também te amo Zac!
Ele a beijou no topo na cabeça, e se afastou a deixando sozinha com seus pensamentos.
- Como foi? – ela se virou ao ouvir a voz de Austin.
- Ele quer que nós nos casamos. – ela o encarou – Ele confirmou o que você disse.
- E ainda sim você vai se casar comigo?
- Ele não é o homem da minha vida. Ele não me merece. – ela disse se aproximando dele – São as palavras dele.
- O que você decidiu?
- Ele ainda não está pronto. E uma mulher só se forma completamente após o primeiro divórcio. – ela disse rindo.
- É bom saber que nós nem se casamos e você já quer se divorciar. – ele disse brincalhão.
- Só o destino pode nos mostrar o caminho certo a tomar, e nesse momento esse caminho é você!
- Fico feliz em ouvir isso.
- Só o tempo pode mudar a nossa situação atual.
- Quando tempo?
- Eu não sei. Só espero que não seja longo ou curto demais, mas o suficiente para que todos sejam felizes com as pessoas que amamos.

Fim.

-----------------------------------------------
 Espero que tenham gostado. Sei que não é final feliz, mas sim a esperança de um final de contos de fadas. Comentem e deixem opiniões para as próximas fics.

- L

PS: Divulgando nova ficção "Proposta Indecente"