terça-feira, 28 de outubro de 2014

Spoiler

Curtiram o novo layout? Espero que sim!!!
Um pequeno, mas pequeno (de fato) trecho do próximo capítulo.
Comentem e expoem as suas opiniões, criticas e sugestões.


           " - Queria falar comigo Senhor?
            - Sim, Zac. Entre e feche a porta.
            Ele entrou e sentou na cadeira a frente da grande mesa de madeira. Richard Webber era o Chefe de Cirurgia deste há muito tempo. Era respeitado por todos, sem exceção.
            - Quero que você examine uma amiga, mas sem preencher o formulário.
            - Isso é ilegal! – Zac disse – Eu não posso fazer isso!
            - Você fará!" 


Até o próximo sábado ;)
- L

sábado, 25 de outubro de 2014

2° Capítulo

VANESSA

Austin havia acordado há dez minutos. E se sentia traído por ter confiado em Vanessa. Mais uma vez ela havia dormido fora, e nem ao mesmo o informou. Levantou-se e se trocou, colocando seu terno de costume, e descendo as escadas para tomar seu café da manhã.
Quando estava prestes a sair de casa rumo à empresa Hudgens, onde era o vice-diretor, viu Vanessa chegar e o encarar surpresa. É claro que ela não imaginava que ele ainda estava em casa, já se passava das nove, enquanto ele sempre saía as sete de casa.
            - Foi boa a noite?
            - Foi sim. Foi muito divertido. Conheci muitas pessoas legais! – ela respondeu.
            - Não vou discutir com você agora. – ele disse pegando sua pasta. Ao passar por ela, segurou com força seu braço direito – Não se esqueça de que é uma mulher casada!
            - Você não me deixa esquecer!
Austin a soltou e passou pela porta, sem se importar com a marca roxa que havia deixado no braço de Vanessa.
            - Não entendo porque a senhora suporta tudo isso?
Vanessa levantou seu olhar e viu Dorota a encarando. A serviçal fiel a sua família deste que havia nascido. Sua protetora deste sempre.
            - Ninguém entende... E jamais entenderão.
            - Sua mãe ligou. Ela quer almoçar com você na casa da família.
            - Eu vou ligar para ela.
Vanessa seguiu escadas acima deixando Dorota na sala de entrada sozinha. Ao chegar ao quarto percebeu que não havia nada fora do lugar. Austin não havia feito nenhuma loucura ao notar que ela não havia passado a noite em casa. Deve a confirmação que a loucura viria à noite, quando ele voltasse para casa e a encontrava. Ela fechou os olhos já se preparando.
***
            - Pensei que não viria.
            - Eu disse que viria, e eu vim. Eu cumpro a minha palavra!       
Vanessa havia acabado de chegar à casa da família onde almoçaria com a mãe. Coisa que não fazia a algum tempo. Entrou na casa e deparou com a mesa de jantar posta com suas comidas preferidas, e já foi se sentando em seu lugar de costume.
            - Você cozinhou este banquete sozinha?
            - É claro. Posso ser rica, mas na minha cozinha ninguém mexe além de mim!
Gina Hudgens era cozinheira de mão cheia, e mesmo sendo esposa do maior magnata do Petróleo, era humilde, e sempre preparava as refeições da família, jamais contratou uma cozinheira, já que seu marido era machista, e nunca a deixou trabalhar.
            - Papai não está? – Vanessa perguntou ao sentar.
            - Não. Está na empresa deste às sete da manhã, e não vem pro almoço. Não sei por que ainda me importo se ele vem ou não, já que nunca vem.
            - Austin é igualzinho, nunca está em casa pro almoço.
            - Como está o Zac?
Vanessa se engasgou com a água que bebia ao ouvir o nome de Zac. Sua mãe era sua confidente, mas ela nunca contou para ninguém além de Ashley, sua melhor amiga que ainda se encontrava com seu antigo namorado. Ela olhou com surpresa a mãe, que sorria pra si.
            - Eu sei que vocês se encontram às vezes.
            - Como você sabe?
            - Sou mãe! – Gina deu de ombros – Percebo quando minha filha diz uma coisa, mas seus olhos dizem outra. Sei que a viagem para Bahamas foi uma droga, e você não gostou!
            - Eu não queria viajar! – ela disse.
            - E não queria se casar! – Gina completou – Eu sei, mas você ainda não me respondeu como Zac está? – ela encarou a filha – Fiquei sabendo que ele se tornou médico, é verdade?
            - O melhor! – Vanessa disse sorrindo – Ele voltou recentemente pra Los Angeles. Fez faculdade em Nova York, na Columbia. Deve os melhores tutores e é considerado o melhor Neurocirurgião de todo o estado.
            - Você ainda o ama? – Gina a encarou
            - Porque a pergunta?
            - Eu sei que a resposta é sim. – Gina sorriu para a filha – Você aparece feliz alguns dias, e logo em seguida você já aparece deprimida. A felicidade se chama Efron, e a infelicidade é Austin. – Vanessa sorriu desanimada – Você sempre estava feliz quando namorava com Zac, e quando ele foi para Nova York, você ficou triste. Então eu acredito que você ainda o ama.
            - Não tem como esquecer o primeiro amor, o primeiro namorado, o primeiro. – ela disse deixando a resposta no ar.
            - Austin sabe dele?
            - Acredito que não. Acho que ele sequer conhece o Zac.
Vanessa sentiu um frio na espinha ao imaginar o que Austin faria se descobrisse que ela tinha um caso com Zac. Ela não conseguia sequer imaginar o que o seu marido faria se descobrisse.
            - Gostaria de vê-lo novamente! – Gina disse.
            - Acho que papai não iria gostar disso.
            - Ele não gosta nada que as mulheres dele fazem. Se ele descobrisse que Stella está namorando ele surtaria.
            - Quem surtaria?
As duas gelaram ao ouviu a voz grave do patriarca da família. Vanessa se virou e viu seu pai ao lado de Austin. Surpresa em dose dupla. Elas sorriram educadamente, enquanto os rapazes se juntavam a elas no almoço, sentando cada um ao lado de sua respectiva esposa.
            - Magda! – Gina disse ao marido – Ela surtaria ao ver o meu banquete!
Gina tinha o dom de fazer as pessoas rirem, e naquele momento todos riram ao notar a alegria dela ao dizer que cozinhava melhor que a sua amiga Magda, que era proprietária da panificadora do bairro.


sábado, 18 de outubro de 2014

1° Capítulo - Estréia My Dream


ZAC E VANESSA

- Eu poderia falar com o Dr. Efron?
A senhora de meia idade que era secretária levantou o olhar e encarou a morena com olhos de cor avelã que a olhava esboçando um sorriso em seu rosto.
            - A senhora é?
            - Vanessa!
            - Sobrenome?
            - Só diga Vanessa – ela disse – Ele sabe quem eu sou!
A mulher olhou intrigada, mas mesmo desconfiada discou alguns números.
            - O Doutor está em uma cirurgia, mas pediu para a senhorita esperar! – a senhora informou alguns segundos após colocar o fone no gancho.
            - Obrigada!
Vanessa seguiu as orientações e se sentou na sala de espera entre outras pessoas que ali estavam, com certeza, aguardando informações de seus entes queridos, que possivelmente estavam em alguma operação. Estava no HCLA – Hospital Clínico Los Angeles – o melhor hospital particular especializado em cirurgias de todo o estado da Califórnia. Vanessa esperava ansiosa o encontro com o seu eterno amor. Olhou ao redor enquanto aguardava, e ao voltar à atenção para sua frente, o viu descendo as escadas. Ela se levantou, e foi ao seu encontro do lindo rapaz com olhos azuis que vestia um jaleco. Ao se aproximar, não se contentou e juntou seus lábios ao dele, sem se importar com os olhares curiosos e espantados ao seu redor.
            - Senti sua falta! – ele disse assim que se separaram.
            - Eu também Dr. Efron!
            - Pra você é Zac. – ele disse brincalhão – Como foi à viagem?
            - Uma merda! – ela disse sincera.
            - Adorei sua aliança! Seu marido sabe que está aqui?
            - Não – ela o beijou novamente – Ele nem imagina!

Vanessa e Zac se conheciam deste o ensino médio, e sempre foram amigos deste então. Mas as coisas não haviam sido fáceis pra nenhum dos dois. Vanessa era de família de classe alta, herdeira da maior empresa de petróleo. Zac, ao contrário, era de família de classe média baixa,  batalhou muito para chegar aonde chegou. É considerado o melhor Neurocirurgião do país.
Passaram meia hora conversando sobre as últimas férias de Vanessa em Bahamas. Eles se despediram logo em seguida, já que Zac tinha que se preparar para a próxima cirurgia.
Vanessa havia acabado de entrar em seu carro, quando ouve seu telefone tocar. Ela atende.
            - Alô?
            - Eu posso saber onde você está?- ela se arrependeu imediatamente de não ter visto quem era. Respirou fundo e prosseguiu a conversa.
            - Já estou voltando para casa.
            - Não era nem pra ter saído! – ela ouviu e respirou fundo novamente pra não dizer nada que pudesse piorar aquela situação.
            - Aconteceu alguma coisa?
            - Não sei, me diga você!
            - O que quer dizer Austin? – ela disse furiosa – O que está insinuando?
            - Não estou insinuando nada. Só queria passar o resto da tarde com minha esposa.
            - Como eu já disse, eu estou indo pra casa!
            - Te vejo logo então.
Vanessa fechou os olhos assim que ouviu a ligação acabar. Sentiu um alivio, mas ao mesmo tempo um medo sem explicação. Ligou o carro, e minutos depois estava entrando na mansão onde residia. Os portões brancos se abriram e ela seguiu até a garagem, onde percebeu que havia um carro a mais, e deduziu que havia visitas. Respirou, e ao sair do carro, seguiu rumo à casa principal. Ela não suportava mais a vida que levava. Havia momentos que ela tinha a certeza que estava cometendo um erro ao trair Austin, mas logo em seguida ela caia em si e se lembrava da promessa que havia feito ao pai, e em hipótese alguma ela quebraria uma promessa.
            - Demorou! - Ela o encarou sentado nos degraus da escada. Abriu um sorriso sínico para o marido. – Temos visita!
            - Eu imaginei!
            - Temos bolo! – ele disse se levantando e indo em direção a ela.
            - De chocolate?
            - Sempre!
Austin se aproximou mais e a beijou nos lábios. Ela não pode recusar, porque seria mais um motivo para as diversas brigas constante do casal. Quando se separaram, Vanessa percebeu como era vulnerável aos olhos claros do marido. Azuis. Assim como os de Zac.
Seguiram juntos pelo corredor que levava até a cozinha, onde Vanessa encontrou sua mãe cortando um pedaço de seu magnífico bolo de chocolate. Receita própria.
            - Oi mãe! – ela disse ao se abraçarem.
            - Estava com tantas saudades suas!
            - Eu estava contando para Dona Gina sobre nossa viagem, Amor! – Austin disse se intrometendo no momento mãe e filha.
            - Deve ser muito bom ter uma segunda lua de mel! – Gina disse.
            - Foi ótimo! – Austin disse – Não é Amor?
Vanessa encarou Austin. Olhou novamente para a mãe que esboçava um sorriso em seu gracioso rosto, que a fez sentir a necessidade de concordar com o marido.
            - Foi muito bom sim!
***
Eram três e meia da manhã quando Zac ouviu o maldito som da campainha, fazendo assim ele despertar de seu sono. Ele se levantou, vestiu uma calça e seguiu até a porta. Ao abrir se deparou com uma Vanessa totalmente arrumada para uma festa, com vestido preto colado ao corpo, e com maquiagem destacando seus lábios que estavam na cor vermelha.
            - Isso é hora de visitas?
Ela riu. Ele deu as costas e voltou para sua cama, voltando a se deitar de bruços, fechando os olhos logo em seguida. Segundos depois, sentiu um corpo juntando ao seu.
            - Austin vai brigar com você se descobrir que passou a noite aqui! – ele disse ainda com olhos fechados.
            - Ele não vai descobrir. Eu vou dizer que dormi na casa da Ashley.
            - E porque ele vai acreditar?
            - Porque eu estava com ela até alguns minutos atrás. Fomos jantar e depois fomos a uma boate. Você devia ter vindo com a gente!
            - Não depois de doze horas de trabalho. – ele disse após um suspiro.
            - Posso dormir aqui?
            - Só dormir? – ele abriu os olhos pela primeira vez durante toda a conversa e a encarou – Você não quer sexo?
            - Eu só quero estar com você!
Zac a encarou surpreso, já que todas as noites que passavam juntos era a base de sexo, mas dessa vez era diferente, ela só queria estar ali. Sem sexo. Sem nada. Ele se virou, e a apoiou em seu peito, e somente ali ele percebeu que ela estava vestindo sua camisa, não mais o belo vestido preto.
            - Eu te amo Vanessa.
            - Eu também te amo Zac.
            - Só dormir? – ele perguntou e ela sorriu em contato com a pele dele.
            - Só dormir!


------------------------------------------------

Nada melhor que uma data especial para começar nova ficção, não é?!
Espero que vocês gostem assim como as anteriores. 
Continuarei postando de sábado, e quem sabe alguns spoilers durante a semana ;)
-L

E se...


E se...
Você não tivesse um ídolo?

As pessoas acreditam que quem é fã de qualquer personalidade da mídia é imbecil, idiota... Mas elas não sabem, e nem desconfiam que o ídolo significa muito mais do que uma mera celebridade.

Ser julgada por ser fã, é a coisa mais normal que existe. Ser tachada de idiota por amar alguém que se quer lhe conhece é a coisa que mais acontece.

As pessoas dizem “De novo você vai assistir Zac Efron?”
Sim, de novo e de novo, até o último dia da minha vida.
Por quê? Porque ele é o meu ídolo, é a melhor parte de mim. É o meu porto seguro. Minha jóia rara. Sem ele, eu não mais existiria.

Posso chegar a não conhecê-lo, mas eu sei que nos momentos mais difíceis ele estava comigo, me apoiando sem ao menos me conhecer, sem ao menos saber da minha existência.

Mas tudo bem, que graça teria a vida se tudo fosse fácil, se todos conseguissem realizar seus sonhos...

Há oito anos minha vida é iluminada por um anjo. Um anjo com olhos azuis como o mar, ou até mais bonito. Ele se quer sabe o quanto que faz bem para as pessoas, não só para mim, ou para seus 9,61 milhões de seguidores no Twitter (até esse momento). Ele não sabe o tanto de orgulho que temos quando ele recebe um prêmio, não sabe o quanto nos faz feliz com apenas uma frase: “Eu tenho os melhores fãs do mundo!”.

Só somos os melhores fãs, porque temos o melhor ídolo!

Feliz Aniversário Zachary David Alexander Efron.
É o seu aniversário, mas nós, seus fãs que ganhamos o presente: você feliz!




domingo, 12 de outubro de 2014

100° Comentário

Believe In Zanessa 828 comentários
Friends And Lovers 305 comentários
My Dream, finalmente atingiu seu 100° comentário... Iupi!

Agradecendo a Zanessa4Ever que é responsável pelo 100° comentário, e é claro, agradecendo a todos, todos mesmo, que sempre comentam. Obrigada!

Como prometido, logo abaixo esta a surpresa: uma nova ficção.
Ficção completa, sem mini fics.
Espero que gostem da novidade!!! Em breve divulgarei a data de lançamento.
Até mais!
-L

PS: Feliz dia das crianças para todos nós que somos eternas crianças ;)


sábado, 11 de outubro de 2014

Aeroporto (Thaeme e Thiago)


            É, essa noite eu vou tentar me transformar em vento, para impedir que esse avião saia daqui levando a minha vida para longe de mim. Eu não conseguirei ficar longe de Zac, não mesmo.
            - Achei que você não viria!
            Ele abriu seu sorriso que eu tanto amo, me abraçou forte quando eu me aproximei. Nossos amigos que estavam ao redor nos encaravam com lágrimas em seus olhos, e as demais pessoas que estavam no saguão do aeroporto nos olharam também.
            - São só oito meses! – ele sussurrou em meu ouvido, ainda abraçado a mim, eu deixei cair uma lágrima em meu rosto.
            - Eu sei que para você oito meses é pouco tempo, mas não imagina a proporção desse meu sentimento, não faz ideia do quanto você é importante pro meu dia a dia. – Nos separamos e eu o encarei - Eu vivo em meio a multidões, mas me sinto tão só, e se você partir agora eu vou ficar pior, todos os meus sorrisos vão desaparecer.
            - Não pode acontecer! – Zac disse – Vai dar tudo certo Nessa!
            - Se eu fosse melhor você não ia.
            - Não diga besteira! – ele me repreendeu.
            - Se eu tivesse mais coragem, eu te abraçava e te impedia.
            Ele beijou a minha testa, e depois meus lábios.
            - A gente vai se falar todos os dias, no mínimo três vezes. O tempo vai passar rápido, e quando nós menos perceber, o intercâmbio vai ter terminado, e em seguida eu estarei em um avião de volta pra cá, voltarei para meus amigos, minha família, e pra minha namorada... E eu não quero que ela fique triste e depressiva durante esse tempo, então eu peço a sua ajuda pra não deixar que isso aconteça com a Senhorita Vanessa Hudgens. – eu sorri sem animo – Eu te amo!
            - Eu também te amo! Você não imagina o quanto!
            Ele sorriu, e em seguida ouvimos o auto falante notificando que o embarque havia começado, Zac se afastou de mim, e abraçou nossos amigos, e em seguida voltou sua atenção a mim.
            - Eu volto logo!
            Ele disse antes de me beijar pela última vez. Começou a andar, e aos poucos foi desaparecendo do meu campo de visão. Ashley se aproximou de mim, e começou a me guiar para o estacionamento. Quando chegamos perto de meu carro, eu não segurei as lágrimas, e elas começaram a escorrer em minha face.
            - Eu estou chorando no estacionamento do aeroporto! – eu disse achando aquilo ridículo.
            - Não há problema nenhum! Mas ele vai voltar, então se acalme.
            - Eu estou chorando, porque talvez hoje tenha sido o nosso último encontro.
            - Como assim?
            - Ninguém manda no futuro.




sábado, 4 de outubro de 2014

Inseguros (Thaeme e Thiago)


            - Qual o nome? – o recepcionista do restaurante me perguntou enquanto olhava para uma lista a sua frente.
            - Eu vim encontrar uma pessoa, acredito que já esteja a minha espera. – ele levantou o olhar e me encarou – Qual o nome?
            - Zac Efron, quer dizer, Zachary Efron.

            Segundos depois um garçom veio me acompanhar até a mesa oito, onde Zac já estava a minha espera.
            - Vanessa! – ele me cumprimentou ao me sentar – Está linda, como sempre!
            - Não começa – eu disse e ele riu – Eu aceitei jantar com você, mas só pra eu dizer tudo que guardei nesses anos que você não estava aqui.
            - Nessa... – ele disse, mas o cortei em seguida.
            - Só me deixa falar, antes que eu perca a coragem.
            - Quer alguma bebida?
            - Você está me distraindo! – Zac riu – Ao chegar em casa, hoje, após eu reencontrar você, eu decidi escrever algo só pra nós dois. Fiquei pensando se ainda tem saudade e chora por mim? Se você ainda se lembra do tempo que já se foi?
            - Bom...
            - Não me interrompa! – eu disse rapidamente - Eu nunca imaginei, tão repente, te encontrar. Fazia oito anos que a gente não se via. Engraçado como eu fui pra outro lugar e você formado em direito e agronomia. Me lembrei do beijo, do primeiro dia em que te amei, em frente a casinha onde eu morei.
            - Ali nasceu o amor, mas éramos tão imaturos. – Zac disse.
            - Éramos tão inseguros, erramos com medo de amar, e sem nenhuma experiência pra se entregar.
            - Quem sabe se a gente tentar, ainda resta uma esperança pra recomeçar! – ele disse me encarando com seus olhos azuis.
            - Abri a caixa empoeirada que eu guardei durante todos esses anos, achei as cartas e o álbum que você me deu. Em uma delas, a promessa que não aconteceu, com vinte e cinco anos, finalmente ia ser meu. Me fez lembrar do abraço do último dia em que contou dos quatro meses de intercâmbio que provou que tudo tinha um fim.
            - Não era o fim. Nunca teve fim. – Zac pegou a minha mão sobre a mesa – Eu sempre te amei. Nunca te esqueci. Estou aqui, porque percebi que aos 28 anos a maioria dos meus amigos estão casados ou noivos, e eu estou solteiro há oito anos, por que nunca encontrei alguém que me fizesse sentir como você faz. Errei em não ter voltado assim que o intercambio acabou, mas você sempre me apoiou em tudo. Não estava pronto para você. Hoje estou, por isso voltei, para encontrar a única pessoa que eu amei, voltei para reencontrar a única pessoa que pode se tornar a minha esposa. Independente da sua resposta, eu não vou desistir. Pode demorar mais oito anos, mas eu não vou mais te abandonar. Eu prometo!

Fim.


---------------------------------------------------------------


Olá pessoal!

Mais uma mini fanfic pra vocês...
Lembrando que ao 100° comentário terá uma surpresa, que espero que agrade a todos. Estamos quase lá! ;)
- L