sexta-feira, 17 de julho de 2015

Epílogo


                - Mãe, o Nicolas pegou a minha bolsa. Como eu vou sair agora?
                - Eu não pequei nada não! – Nicolas respondeu levantando as mãos em rendição.
                - Vocês dois não conseguem ficar um dia sem brigarem? – Vanessa perguntou.
                - É a Gabi que enche o saco! – Nicolas respondeu deitado no sofá.
                - Eu? É você que sempre some com minhas coisas, você é o chato da família. – Gabriela disse furiosa – Minha vida seria melhor se você não tivesse nascido!
                - Gabriela! – Vanessa gritou furiosa – Para o seu quarto agora.
                - Mas mãe!
                - Nem mais, nem menos. Você passou dos limites, sorte sua que seu pai ainda não chegou do escritório. – Vanessa reprimia a filha – Peça desculpas ao seu irmão!
                - Nem morta! – Gabriela disse e Nicolas riu.
                - Morta você vai estar! – Nicolas disse e Gabriela gelou.
                - O que está acontecendo?

Todos se paralisaram ao ouvir a voz de Zac. O tempo foi favorável para o casal. Havia se passado 18 anos, deste aquela tarde que se casaram. Ainda estavam apaixonados, mas agora com dois filhos. Gabriela, a primogênita com 18 anos, e Nicolas com 16 anos. Irmãos de sangue, mas no último ano se tornaram inimigos.

                - Alguém vai me dizer? – Zac perguntou e olhou pra esposa.
                - O de sempre! Um brigando com o outro. Nicolas começa, Gabi resmunga, Nicolas diz que não tem culpa, Gabi diz que nem morta ela pede desculpas.
                - E mais uma vez de castigo! – Zac disse olhando os filhos – Os dois de castigo!
                - Ele que começou! – Gabriela disse.
                - E eu terminei! – Zac disse sério – Quarto agora mocinha.
                - Eu tenho 18 anos, o senhor não manda mais em mim! – Gabriela desafiou cruzando os braços.
                - Você mora comigo, eu que banco todas as suas mordomias, então sim, eu mando em você. Não está contente, pega suas coisas e saia de casa. – Gabi olhou para a mãe e depois para o pai – Se você conseguir tomar conta de sua vida, ótimo, eu paro de dar palpite em sua vida, mas enquanto esse dia não chega, você tem que me obedecer.
                - Desculpa! – Gabriela disse ao pai e encarou o irmão que estava sentado no sofá – Me desculpa também!
                - Não foi nada! – Nicolas disse.
                - Para o quarto os dois! – Vanessa disse.

Nicolas e Gabriela passaram pelos pais, e caminharam até seus respectivos quartos. Vanessa encarou Zac que olhava para o topo da escada a espera de alguma rebelião dos filhos.

                - O que fizemos de errado? – ele a questionou.
                - Talvez, estejamos pagando os nossos pecados! – ela disse brincalhona.
                - Então foram os mais graves possíveis! – Zac disse entrando na brincadeira.
                - Como foi seu dia?
                - Números, números e mais números. – ele disse antes de beijá-la na testa – E o seu?
                - Brigas, brigas e mais brigas! – ela disse rindo – Parece que eles ainda tem três anos.
                - Eles eram calmos com três anos! – Zac disse fazendo careta. – E o trabalho?
                - Estou quase terminando, Sr Efron!

Vanessa cursou a faculdade de Arquitetura após um ano do nascimento de Gabriela, a surpresa foi quando descobriu que estava grávida pela segunda vez. Mas não desistiu, trancou o curso quase nos últimos dias de gestação, e retornou assim que ele desmamou. Enquanto as crianças ficavam com uma babá, Vanessa concluía mais um semestre, e assim por diante.

                - Acho que preciso de férias! – ela disse envolvendo os braços no pescoço do marido.
                - Eu também preciso! – Zac respondeu.
                - Podíamos ir para Nova Zelândia. – Vanessa disse animada – Mas só nós dois. Sem aqueles pestinhas!
                - Também acho! – Zac concordou – E se sumirmos pelo mundo e deixá-los sozinhos. Será que eles perceberiam que foram abandonados?
                - Acho que não. Dificilmente. Acho que nem conseguem sobreviver um dia sem nós. Eles morreriam!
                - Que desperdício de espermatozóide! – Zac disse.
                - Como assim? – eles ouviram uma voz e se separam e encararam os filhos nos últimos degraus da escada – Vocês vão nos abandonar? – Gabriela questionou e eles sorriram.
                 - Não é uma má ideia! – Vanessa respondeu.
                 - Vocês teriam coragem? – Nicolas perguntou com voz baixa.
                - Sim! – Zac respondeu naturalmente – Porque estão tão indignados assim? Vocês nem se suportam, brigam um com o outro a cada novo dia, eu e sua mãe fazemos tanto por vocês, e nem um “obrigado” nós recebemos. Estamos cansados de desperdiçar o nosso tempo com vocês!
                - Acho que você pegou pesado! – Vanessa disse ao marido, ao constatar que os filhos estavam quietos, e com olhos marejados.
                - Será? – Zac disse.
                - Talvez. Mas foi preciso! – ela sorriu.
                - Vocês estão brincando? – Gabriela disse temerosa.
                - Somos bons atores! – Zac concluiu.
                - Ainda bem! – Nicolas disse descendo as escadas e abraçando os pais – Eu prometo que vou melhorar as notas na escola, e vou ao escritório também pai. Desculpe pelos erros!
                - Pelo menos para um a brincadeira funcionou! – Vanessa disse sorrindo abraçando o filho.
                - Gabriela? – Zac questionou.
                - Eu não vou abraçar vocês! – ela disse brava – Vocês brincaram com o meu sentimento. É claro que eu iria perceber que vocês nos abandonaram, e sim, nós iríamos morrer sem vocês. Aprendi a lição. Eu encrenco com o Nico por que é divertido, mas estou cansada de ficar de castigo.
                - Então? – Vanessa a encarou.
                - Eu vou melhorar – Gabriela disse descendo os últimos degraus – Eu amo vocês!
                - E funcionou! – Vanessa gritou de alegria e se abraçaram.

A família estava unida, e se tudo der certo, continuariam assim.

                - Pizza? – Zac perguntou.
                - Sim! – Todos responderam em uníssono.







Fim.





-------------------------------

E chegou o fim!!!
Espero que tenham gostado do capítulo, e da ficção em geral.
Bom, novidades vem por aí!
Até breve!
- L

3 comentários:

  1. Aii que lindooo!!! Adorei o capitulo e pena que já acabou. Ansiosa pela próxima. Bjosss

    ResponderExcluir
  2. Eu ri o Nicolas e a Gabriela devem ter ficado vem assustados ao ouvir os pais falando em abandona-los hahahaha mas que bom tudo acabou bem!!
    Eu amei a fic e já estou curiosíssima pra saber mais sobre essa novidade.
    Beijos

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião e deixe sugestões ;)