terça-feira, 20 de outubro de 2015

THE FINISH


Acordei devagar, com o sol espreitando pela cortina. Mexendo-me na cama, percebi que estava envolvida por um abraço apertado.

            - Bom dia - Zac sussurrou em meu ouvido. Sorri, lentamente.
            - Bom dia - consegui dizer, enquanto ele dava beijos suaves e persistentes na minha bochecha. Virei para olhá-lo e nem reclamei quando ele beijou-me na boca.

A corda cor de vinho ainda estava jogada no chão onde havíamos deixado, após as atividades da noite passada. Com o tempo, ela tinha ficado mais macia e maleável. Lembrei-me de como ela me havia feito sentir, apenas algumas horas antes e estremeci com o calor de sua pele. Seus dedos percorriam meu corpo com um leve toque, fazendo surgir um fogo bem devagar por dentro. Ainda estava ardida pela noite passada, mas aparentemente ainda não havia tido o suficiente. Achei que ele sabia exatamente como me tocar na primeira vez que ficamos juntos, mas ele ficava cada vez melhor em decifrar meu corpo e dar-me o que eu queria, geralmente antes de eu mesma saber o que era. Seus dedos escorregavam entre minhas dobras, provocando-me. Testando-me.
Deslizei as pernas até o quadril dele, ficando bem aberta. Ele sorriu, e senti algo duro cutucando-me.
Ainda estava sonolenta, mas meu corpo estava bem acordado e pronto. Inclinei a cabeça para trás, enquanto ele deslizava para dentro de mim, de forma agonizantemente devagar, mas tão perfeitamente satisfatória. Ele me preenchia da mesma forma como sempre fazia, mas a sensação da pele dele sobre a minha ainda era nova, ainda era intoxicante. Eu girava os quadris com os movimentos dele. Ele colocou as mãos para baixo, para me acariciar, seus dedos massageando devagar em círculos exatamente onde eu precisava. Emiti um som baixinho, minhas pálpebras começando a pesar. Ele tinha atingido o ponto certo, e sabia disso.
Às vezes fazíamos umas brincadeiras – com cordas e algemas, fingindo ser pessoas que não éramos. Às vezes ele levava-me até o limite e me puxava de volta, sem parar, apenas para se afirmar, para lembrar-me de que eu podia controlar meu próprio corpo se ele exigisse isso de mim. E eu passei a adorar essas brincadeiras. Por mais frustrantes que pudessem ser, elas eram reconfortantes. Confiáveis. Íntimas.
Mas às vezes, não fazíamos brincadeiras.  Às vezes éramos apenas nós dois, sem artifícios. Sem consolos ou desculpas. Eu não diria necessariamente que preferia um jeito ao outro, mas era muito bom ter os dois. Nesta manhã, éramos apenas nós dois. Ele era meu marido, não meu chefe bilionário que uma vez havia tentado comprar um ano da minha vida. Este era nosso passado. Até recentemente, nosso futuro era incerto. Mas agora estava claro que não havia mais necessidade de um contrato para manter-nos juntos.
Eu derretia ao seu toque, perdia o ar e estremecia em seus braços. Eu nunca tinha entendido como ele conseguia reduzir-me a isso apenas com o ritmo devagar, constante de sua mão, mas certamente eu não reclamaria.
Então, num piscar de olhos, derreti-me. Em algum momento em meio ao prazer, senti-o metendo bem fundo, uma última vez, sua boca aberta conectada ao meu ombro, os dentes afundando o suficiente para deixar uma marca vermelha.
Quando recobrei os sentidos, Zac estava sorrindo e acariciando meu cabelo. Ele beijou a ponta do meu nariz, e fez uma careta.

            - Feliz aniversário de casamento - ele disse, com a voz ainda rouca de sono. Sorri.
            - Já faz um ano?
            - Eu sei - ele respondeu, agarrando meu cabelo. - É uma pena, né? Eu não comando mais você.
            - Vamos pedir pra sua advogada inventar algo novo - brinquei. Ele riu.
            - Eu te amo, meu amor. – disse beijando minha testa.
            - Eu também te amo - sussurrei, contra seu peito. Fechei os olhos, e apenas respirei.


Fim.


-------------------------------------------

Chegou ao fim :/
Deixem as sua opiniões nos coments.
Mas agora, vamos para os esclarecimentos.
Bom, quero agradecer a todos que me acompanham deste " Believe In Zanessa" (minha obra prima rsrs). Aos que chegaram no percurso desta caminhada, o meu mais sincero obrigado.
Mas chegou o fim!
Isso mesmo galera. Não postarei mais. Não posso dizer nunca mais - vai que eu apareço com uma mini fic por aqui rsrs.
Enfim, obrigado a todos. 
Nossa caminhada se encerra aqui.
Beijos e abraços.
- L

  

4 comentários:

  1. Ahhhhh suas fica são tão perfeitas te acompanho desde believe in Zanessa mas erra burrinha e não sabia comentar mas deus que coisa perfeita eles se amando ......chorei agora como isso podia ser verdade , como ainda tem a possibilidade do amor deles existir coisa que todos nós sabemos é que esse amor nunca acabou ...... Mas aparece sim com uma mini. Fic

    ResponderExcluir
  2. Poxa fico triste em saber que vc não vai postar mais pois eu adoro as suas fics, são cada uma mais perfeita que a outra. Mas por outro lado fiquei super feliz com o final dessa fic ficou PERFEITOOO. Bjosss e vou entrar aqui sempre com a esperança de ver vc escrevendo uma nova fic.

    ResponderExcluir
  3. OMG
    Que final perfeito.
    Você arrasou em mais uma fic.
    Quanto ao fato de sua jornada nas fics está se encerrando, eu te entendo perfeitamente. Chega uma hora que a vida cobre e nós temos que tomar certas decisões. Espero que você tenha sucesso naquilo que você decidir seguir.
    Espero que você aparece de surpresa com uma nova fic por aqui.
    Beijos e boa sorte.

    ResponderExcluir
  4. Que final lindo!! Foi mais perfeito do que eu imaginava!!! Eu amei todos os capítulos, amei tudo, todas as suas fics, que pena que tenha que parar e encerrar, eu te entendo e constantemente estou passando por isso mas chega uma hora que não podemos mais "driblar" o futuro e prolongar por um instante o que fazemos com tanto carinho, chega uma hora que temos q encarar o futuro.
    Desejo a voce sucesso em todas suas decisões.
    E espero ansiosa pelo dia que apareça e poste mais uma incrível e encantadora mini fic.
    Um grande beijo e boa sorte.

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião e deixe sugestões ;)